Ladrão de pensamentos



Assim, num átimo de segundo, num instante de distração, você me toma por completo e minhas divagações navegam até você. E nessa maresia mental, eu me entrego em sua presença distante e te tenho só para mim.

Você furta meu pensar e impõe com toda pompa sua majestosa forma em meus devaneios. Eu não reclamo, pois talvez você não saiba, mas os pensamentos furtados e recheados de ti são aqueles que mais me aprazem. Aqueles que embora eu espere, ainda me surpreendem por surgirem inesperados – a minha própria contradição de te querer em mim, ora te busca e ora te repele.
Seus modos de me invadir e monopolizar meu pensamento são sutis. Não é um roubo violento. É um furto delicado que chega a ser doce. Encantador. Talvez não seja furto, afinal, se eu me doo e abro as portas e janelas de minha mente para que você encontre uma maneira de se esgueirar para dentro... mesmo que assim que estiver lá, eu vá fechar todas essas passagens e te trancar. Às vezes eu te quero inteiramente, outras, tenho receio de admitir que desejo que você pertencesse a mim.
Possessivo? Há palavras mais bonitas para descrever. Meu querer é suave, é falado em poesia, é cantado em rima e verso. É um querer disfarçado de súplica. É uma vontade mascarada de pedidos secretos que os olhos encerram.

O tal do querer é um negócio complicado que nem sempre anda junto com o possuir. Ah, bem que esses dois guris podiam ser grudados feito siameses. Se eu fosse parear as coisas, com certeza os colocaria bem juntinhos. Querer e possuir. Uma combinação totalmente adequada e indigna de reclamações.

Não sei qual a lua que rege as marés de meus pensamentos – só sei que eles estão cheios de você, renovados a cada segundo e crescente de forma contínua. Se um dia hão de minguar, que esse dia seja aquele em que sua presença seja total e completa e preencha todos os outros espaços que existem em mim. 

Compartilhe

Mais sobre o dono dos sorrisos

Autor de sorrisos. Sou aquele que fala sobre o que sente e o que não sente com a mesma veracidade. Há quem diga que sou feito de palavras e quem sou eu para discordar? Ao ler minhas (entre)linhas nosso laço se aperta e assim podemos ser íntimos, de alguma forma. Contatos: rodolpho.padovani@hotmail.com

3 sorrisos compartilhados:

vell disse...

"Não sei qual a lua que rege as marés de meus pensamentos - só sei que eles estão cheios de você."


Que perfeeeeito! ;*
Cheeeiro

Alexandre Lucio Fernandes disse...

A beleza escorre sutil embalado por um amor tranquilo. Amor que se aprofunda nos pensamentos. Amor que rouba este nosso estar, esta mistura de imagens e sensações que tanto percorrem em nós. E atinge o intestino em puro encanto. Como saber exatamente a intensidade, a fluidez certa desta batida perfeita?

Não saber não importa. Sentir é o suficiente... para nos deixar enlevados...

Conto lindo!

Abraço!

Jaci Macedo disse...

Que coisa bonita. Você sente que veio bem do fundo da alma. Esse querer só aumenta com o tempo. Saudade de passar por aqui. Beijo, coração.