O shyriano - Parte 4

Hora do conto - Para entender leia a Parte 1Parte 2 e Parte 3



- Eu posso explicar tudo...  – Max começou, mas o pai ergueu a mão para interrompê-lo.
- Vá já para a cama, isto não são horas de um garoto estar acordado. Vamos – o pai esperou-o deitar-se. O olhar de Max buscou Kwinx, mas não o encontrou. O pai apagou a luz.
As estrelas no teto começaram a brilhar fracamente. O garoto dos olhos roxos apareceu do lado do telescópio.
- Você pode ficar invisível?
- Não – ele respondeu secamente – Me adaptei à cor ambiente. Mimetismo. Como um camaleão.
- Uau! – Max exclamou – Por que você veio?
- Eu não vim. Eu caí. – ele observou uma expressão formar-se no rosto do humano. Confusão. Incompreensão. Ele suspirou, foi algo novo e diferente. Então contou como tudo acontecera.


Ele estava numa simulação de corrida de orbes com outros shyrianos.
- Tudo aquilo que você vê não é real. O céu – ele contou. – Toda a extensão estelar é uma muralha entre o meu mundo e os demais.
- As estrelas não são reais? – Max indagou com pesar na voz.
- Não. E sim. Elas são luzes afixadas na muralha. A muralha nos protege...
- Mas as estrelas estão por toda parte no universo, como podem estar presas em algo?
- A muralha não é apenas uma barreira. É um campo imenso.
- Você está dizendo que o seu mundo é do tamanho de todo o universo?
Kwinx notou algo na voz do garoto. Ceticismo.
- Não. A muralha é. Meu mundo fica atrás da muralha. Lá é onde praticamos a corrida de orbes – ele apontou para a janela, para fora. Para o objeto prateado no gramado – Mas a muralha tem falhas, algumas rachaduras e fendas. Portais. Um outro shyriano – ele soltou um som gutural de raiva – bateu em meu orbe e me empurrou. Caí em uma fissura na muralha e a atravessei. Podemos controlar os orbes acima dela, mas uma força maior me impediu de voltar e eu caí. Caí em um dos planetas proibidos. O seu.
- Planetas proibidos?
- Nós temos o conhecimento de uma vasta parte do universo. De várias galáxias. Não deixamos Shyrejo. Nunca. Nosso mundo é nosso lar. Não se abandona o lar – ele experimentou uma sensação melancólica humana. Tristeza – Existem nove planetas dentro no nosso saber que são proibidos. Perigosos.
- Por que a Terra é um deles? – Max quis saber.
- Por causa dos humanos, obviamente. Eu preciso avisar Shyrejo que estou bem antes que...
Max sentiu um arrepio na nuca e esperou pelas palavras do shyriano.
- Antes que haja uma guerra.

EM BREVE - PARTE 5 

Compartilhe

Mais sobre o dono dos sorrisos

Autor de sorrisos. Sou aquele que fala sobre o que sente e o que não sente com a mesma veracidade. Há quem diga que sou feito de palavras e quem sou eu para discordar? Ao ler minhas (entre)linhas nosso laço se aperta e assim podemos ser íntimos, de alguma forma. Contatos: rodolpho.padovani@hotmail.com

1 sorrisos compartilhados:

Gessy disse...

Está ficando bom.
Ah, já começou bom, então está ficando ótimo...