Carta #18

S.

Dia e noite duelo com o tormento que é ter-te habitando em meu peito e minha mente.
Por mais que eu tente me distrair, lembranças suas se arrastam em minha direção. Ouço sua voz no canto do vento, vejo seu semblante nos raios do sol e sinto seu toque inexistente quando a noite cai e minha pele queima de saudades da sua. Meu coração bate descompassado pela sua ausência. Ele clama pelo seu corpo impuro sobre o meu e suplica por perdão ao mesmo tempo. A minha escolha de não te ter me machuca cada vez mais, é a autoflagelação da minha alma.
Minhas mãos vazias precisam te ter aqui, meus dedos só se encaixam com os seus. Não sei quando tempo ainda suportarei minha existência sem ti, mas eu luto para te esquecer, para te deixar partir e não olhar mais para trás, mas meu coração acostumou-se com a dor. Só vivo para sofrer por ter te deixado e esse sofrimento me tornou o que sou e me envergonha por não viver completamente uma vida nem a outra.

N.

Quem acompanhou o conto "As cartas do monge sem nome" que eu postei no meio do ano passado se lembra (ou não) das cartas misteriosas, porém nas sete partes do conto foram apresentadas apenas seis cartas, decidi então escrever as outras, que serão postadas aleatoriamente. Para ler o conto clique aqui (e leia cada parte) e para ver somente as cartas clique aqui.

Compartilhe

Mais sobre o dono dos sorrisos

Autor de sorrisos. Sou aquele que fala sobre o que sente e o que não sente com a mesma veracidade. Há quem diga que sou feito de palavras e quem sou eu para discordar? Ao ler minhas (entre)linhas nosso laço se aperta e assim podemos ser íntimos, de alguma forma. Contatos: rodolpho.padovani@hotmail.com

6 sorrisos compartilhados:

Shuzy disse...

A dor da falta. Só quem perde é que realmente sabe!

Morgana Rocha. disse...

Depois da perda, lembranças é o que nos resta.

Amanda Menezes disse...

Tentei deixar comentário aqui umas 5 vezes ontem, mas não consegui :( Senti falta daqui Rodi, não vou mais abandonar esse mundinho que me faz tão feliz.
Amei essa carta, lógico né. Não tem um texto teu que eu não tenha gostado até hoje. :)
Voltei viu, e eu espero que dessa vez seja pra ficar.

Beijoos
Mandy

Daý disse...

É tão gostoso ler-te!
Beijo

Francilene Suri disse...

Éeeee saudades disso aqui, nossa!
sempre, sempre com contos que nós prende né?
que bom saber que continua tão bom quanto antes!

Parabéns Rodolpho!
Sucesso sempre, rs.

beijos.

Santa Anja! disse...

Simplesmente M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O!
ABRAÇO monique monteiro.
www.bysantaanja.blogspot.com