Carta #2

S.

Tentei de manter longe de meus pensamentos, mas cada gesto meu me lembra você, minhas mãos sentem falta de tocar-te, meus lábios clamam pelos seus e meu corpo urra de desejos de ter você. Eu não consigo me distanciar de ti, dentro de minha mente, minhas memórias marcham até sua presença, elas controlam tudo o que eu quero esquecer e contrário à minha vontade, trazem à tona as lembranças mais cálidas dos momentos mais ardentes de nós dois.
Minha visão não esquece de como é contemplar a beleza pura de sua silhueta, meu tato afiado se deleita em toques que já se foram, meus ouvidos afugentam fragmentos de palavras soltas, esperando ouvir teu nome ou algo que te traga para mais perto, meu olfato busca em cada brisa o teu perfume incomparável e meu paladar, ainda que prove todos os sabores desse mundo, jamais se esquecerá do teu gosto provocante. Mas um sentido de prudência mais poderoso brande uma espada desafiando os outros a te deixarem partir e assim meus devaneios se dissolvem mais uma vez durante a luz do dia, mas toda minha sede de você desperta na calada da noite.
Mesmo que eu nunca mais sinta teu corpo contra o meu, as marcas que me impregnaste jamais se desvanecerão.

N.

Quem acompanhou o conto "As cartas do monge sem nome" que eu postei no meio do ano passado se lembra (ou não) das cartas misteriosas, porém nas sete partes do conto foram apresentadas apenas seis cartas, decidi então escrever as outras, que serão postadas aleatoriamente. Para ler o conto clique aqui (e leia cada parte) e para ver somente as cartas clique aqui.
PS1: Galera, tô sem internet por um tempo, mas vou continuar postando, não se preocupem, só ficarei (mais) sumido do blog de vocês. Até mais.
PS2: Muito obrigado a todos que estão me apoiando no lance do plágio, é muito bom saber que estão do meu lado. Obrigado, de verdade.

Compartilhe

Mais sobre o dono dos sorrisos

Autor de sorrisos. Sou aquele que fala sobre o que sente e o que não sente com a mesma veracidade. Há quem diga que sou feito de palavras e quem sou eu para discordar? Ao ler minhas (entre)linhas nosso laço se aperta e assim podemos ser íntimos, de alguma forma. Contatos: rodolpho.padovani@hotmail.com

4 sorrisos compartilhados:

Maiara disse...

Que interessante esse teu personagem. Aos poucos lerei as outras cartas, já havia lido uma e essa é a segunda que leio aqui. Genial o modo com o qual você expôs esses conflitos entre os sentimentos e os princípios. Gostei mesmo.
Ah, li o post anterior sobre plágio, nossa, eu não sei se teria a mesma paciência que você, acho que desligaria o computador, e depois tornaria a ligar para poder resolver de maneira mais sensata. E espero que essas pessoas coloquem os créditos, porque é de contrariar a qualquer um.

Beijo grande.

. pamela moreno santiago disse...

Prometo que volto para ler. Só passei rapidinho para dizer que meu novo selo oficial foi dedicado à você. Só passar em "Selos e Projetos" e pegá-lo. Obrigada ^^
Beijos, Pamela.

Jéssica Trabuco disse...

Nossa, que amor, que desejo, que vontade do outro.
Adorei essa carta moço :)

*Amanda* disse...

Ahhhhhhhhhhhhh... fiquei muito nervosa agora!

Comoooo assim... serão postadas aleatoriamente????????!!!!!!
rsrsrsrsrsrsrs...

Eu, particularmente... acho que os dois ficam juntos no final! rsrsrsrsrsrsrs...