Após sua partida

♪ (...) And it sure feels fine
When the sunshine shines
It warms your skin
And your soul within
And the birds sing
Doo-Doo-Doo... ♫
And The Birds Sing - Tyrone Wells

Você caminhou por aquela porta dizendo que não voltaria, naquele momento você despedaçou meu coração e deixou seus cacos espalhados pelo chão. Vi sua silhueta cortando a noite e se afastando de mim. Apanhei cada pedacinho do que sobrou de minha dignidade e mesmo com lágrimas grossas e quentes me pus de pé e me fiz a promessa de voltar a ser quem eu era.
Os dias foram agonizantes após sua partida. Era como se tivessem feito um buraco no meu corpo que jamais seria preenchido novamente... mas aos poucos essa ferida foi se fechando e o que restou foi apenas uma marca do que um dia existiu ali.
Não me perco mais em lembranças doces de sua presença. Não percorro sonhos com você. Não me permito mais sentir sua falta. Sua partida me ensinou que coisas ruins acontecem, sim, mas elas vêm para trazer algo bom, com um significado ainda maior.
Depois de você eu pude descobrir o que é o verdadeiro e puro sentimento dentro de mim, descobri o amor-próprio. Encontrei meu eu assustado, escondido nas entranhas de meu ser e pude ver que estou melhor assim.
Hoje o sol brilha mais, a brisa é mais mansa e o mar lá fora está mais calmo do que nunca, como meu coração, e por falar nele, ele está bem, consegui reunir todos os cacos e juntá-los de volta.
Depois de dois anos sem notícias suas, você me manda essa carta. Ao contrário do que supus que poderia sentir ao ver sua caligrafia no envelope, aquilo só me causou náuseas. Decidi que não leria aquela carta. Seria melhor deixar tudo como estava... ou melhor, como está.
Se viver à sombra de um amor que me machuca é o mesmo que padecer na luz da solidão, prefiro me perder na estrada da incerteza à procura de salvação.
Enquanto isso deixo o sol aquecer minha alma e me deleito na canção dos passarinhos.

Pauta para Bloínquês

Pessoal, fiquei extremamente feliz com o convite do Cristiano Guerra do Oficina Terrosa para fazer parte de um blog de contos. Hoje, ele, eu e a Nini C. do Confusion and Frustration estamos inaugurando o Contos Franqueados, espero ver todos vocês por lá. Teremos postagens a cada três dias.

Compartilhe

Mais sobre o dono dos sorrisos

Autor de sorrisos. Sou aquele que fala sobre o que sente e o que não sente com a mesma veracidade. Há quem diga que sou feito de palavras e quem sou eu para discordar? Ao ler minhas (entre)linhas nosso laço se aperta e assim podemos ser íntimos, de alguma forma. Contatos: rodolpho.padovani@hotmail.com

13 sorrisos compartilhados:

Rute Vieira disse...

pouco amor não é amor.
e se já não o é mais, que não mais fique.

preciso parabenizar ainda?
amei, Rodolpho!
beijos

Milla disse...

selo pra ti no meu blog :)

*Amanda* disse...

cartas não lidas... rsrsrsrsrs... ai ai...

;)

Cristiano Guerra disse...

Amor pouco não vale a pena.
Amor cruel, menos ainda.
Acho que você leva essa edição. ;D

Espero que a Franquia dê certo, e que eu tenha começado bem ;D Me senti intimidado, não posso mentir ,pq vc e Nini são contistas veteranos. Fiz o melhor lá.
Breve, um conto franqueado seu!

Doce Nostalgia disse...

Minha nossa, quantos textos eu perdi com em uma semana longe? O.O
hahaha, poxa saudades daqui...!

Bom você já sabe, que você escrevendo textos "romanticos" é indiscritivel ne?
Lindo demais isso!!!!

Ps. vou tentar ler os outros textos.. hehe *-*

Nini C . disse...

Esse texto me lembra bem uma pessoa... Mais ainda bem que o tempo passa e a gente acaba se acostumando ou se conformando que não dá mais pra ser... Adorei. Ah, preciso falar com voc depois xD

Jaci Macedo disse...

Belo texto. Como sempre, me encantou.
beijos, coração (:

Lury Sampaio disse...

A gente sempre tira algo bom das coisas ruins que nos acontecem, já passei por isso muitas vezes.
Parabéns pelo blog!
beijos.

Leticía Gomes disse...

rôo, brigadão pelo selo, amei *----*
eu não repasso, na verdade, porque eles se perdem etc.. mas eu gostei muito, brigada mesmo.

mas de voce: gostei muito. é meio cliche, porém verdade: quem não se ama não está pronto para amar o outro. é um pouco triste saber que tem gente que passa a vida sem tomar uma decisão, mesmo que seja tardia, ocmo essa, de parar de se importar, ou seixar que pare aos poucos.

bom, eu, curiosíssima, não aguentaria não ler a carta, rs.

beijão :)
vou dar uma olhada no blog novo
(uhul)

Natália disse...

Curiosa do jeito que eu sou leria a carta.

Desculpa, mas tu já pensou em mudar teus comentários para pop up?
É que aqui comigo dá muitos erros, não sei se com as outras pessoas também dá.

Beijos

Sara Carneiro disse...

Há males que vêm para o bem, não é mesmo? Bom, nem preciso dizer que amei o texto. Como sempre você me encantou com as palavras, Rô. Parabéns, meu escritor preferido. Beijos :*

Tati disse...

'Acho que devaria ler a carta'

Gostei. Mas não considero um dos seus melhores. Faltou alguma coisa, sei lá.


Beijos

Thiara Ribeiro disse...

"Apanhei cada pedacinho do que sobrou de minha dignidade e mesmo com lágrimas grossas e quentes me pus de pé e me fiz a promessa de voltar a ser quem eu era."

Foi exatamente assim...há doias anos!

:|