Contagem regressiva - Mês 2

Hora do conto - Se você não leu, leia o Mês 1

Me deixem só. Essa era a minha frase do momento. Eu só queria permanecer sozinho, isolado.
A ficha ainda não havia caído, era como se eu assistisse aquilo através de um vidro. Não, não era eu que morreria. Não quero aceitar isso. "Você tem seis meses de vida. Sinto muito." Era como a fala de um personagem de um filme muito sem graça. Isso não é real, é uma pegadinha, eu não tenho nada. Eu não quero ter nada, mas eu tinha. E me restavam cinco meses.
Apesar de eu querer ficar sozinho, todos os dias minha amiga me visitava, ficávamos horas conversando e rindo, vivendo uma vida à parte de toda essa dor e lamentação, tentando aproveitar ao máximo o tempo restante. Não era minha intenção fazê-la sofrer, mas era inevitável e ela não conseguia imaginar um mundo e uma vida aos quais eu não fizesse parte, mas o tempo estava contra nós. Ver a tristeza e o peso da dor em cada lágrima dela me causaram um aperto no coração.
Conforme os dias passavam eu vinha tentando entender, me conformar, mas naquele momento, perdi meu controle e desabei diante dela. Meu mundo estava despedaçando e eu não tinha forças para juntar os pedaços.
Meu futuro havia se transformado numa ampulheta, cada grão me aproximava lentamente do fim. Cada dia riscado do calendário estampava o tempo que jamais pára, apenas segue irredutível.
Meu cabelo começou a cair, por isso decidi cortá-lo por completo. Parei de me olhar no espelho, não quero observar meu declinio irreversível. Eu sei que estou definhando, mas ainda me recuso a assistir.
Não me perguntem se a vida é justa, pois estou muito aborrecido com ela.

EM BREVE - MÊS 3

Compartilhe

Mais sobre o dono dos sorrisos

Autor de sorrisos. Sou aquele que fala sobre o que sente e o que não sente com a mesma veracidade. Há quem diga que sou feito de palavras e quem sou eu para discordar? Ao ler minhas (entre)linhas nosso laço se aperta e assim podemos ser íntimos, de alguma forma. Contatos: rodolpho.padovani@hotmail.com

17 sorrisos compartilhados:

Tati disse...

Ok.

Vou esperar o 3 porque no momento as palavras sumiram pra comentar sobre tudo isso.

Beijo Coruja

Karenzinha disse...

Ainda estou chorando.. seu post mexeu d+ comigo.

Beijo grande!

Karenzinha disse...

Quando terminei de ler, fiquei por algum tempo, parada, olhando a tela do computador, tentando controlar as lágrimas que caiam sem que eu permitisse. Só então consegui voltar a respirar.

Vc tem um dom com as palavras. Use-o sempre!

Beijos!!!

Melodias de uma garota nada normal !!! disse...

esperando ee curiosaa..bjos

@juusep disse...

Nossa :OO OMG! posta logo!

Jaqueline Jesus disse...

Nossa!! ta triste mas to adorando ler esse conto *-*
muuito bom :D

Felipe disse...

Puts! Eu acho que eu me sentiria pior que ele. Não gosto muito de "morte" apesar de ser o fim para todos. É sofrer demais.
Estou curioso para saber o que vai acontecer com ele. Como ele vai viver durantes esses meses que ainda restam...

Abraço.

Taynara Ambrósio disse...

Ai meu Deeeeus, quanta perfeição em sua escrita. Não tinha lido a primeira parte, confesso. Mas eu não resistir, tive que ler, posta logo a 3° parte, eu ainda espero um final feliz.

Danii disse...

Ahh que triste meu D:
eu não saberia o que fazer em uma situação dessa, deve ser muito angustiante DD:

Gabriela F. disse...

Ainda bem que ele tem uma amiga assim, né?
Tô gostando, e querendo e não-querendo que tu continue (quando chegar ao final ele vai morrer:/)
Beijos

Ariela disse...

Meu masoquismo não permite que não queira terminar de ler esse conto.
O inconformismo dele me domina por completo.

Milla disse...

Acho que se eu estivesse no lugar dela ia começar a aproveitar cada dia mais e mais. Mas acho que talvez ela ainda esteja sem reação diante de apenas alguns meses de vida.

beijos

Babizinha disse...

E quantos contos se parecem com a realidade?! Fiquei com essa pergunta na cabeça após terminar de lê-lo.
Já assisti a uma luta pela sobrevivência muito parecida. Cadê a fé mesmo sabendo que para tudo existe um fim? Quero saber se o personagem o terá, ou morrerá como um fracassado como parece.

Beijos
:*

Jaci Macedo disse...

muito profundo. e bem escrito. espero a continuação. beijos (:

maiara diniz. disse...

Eu amei esse conto *-*
Talvez as pessoas precisem de notícias como essa para sentir o quão frágil é a vida. Não entendo porque, mas só a aproveitamos com toda a intensidade possível quando percebemos que está se esgotando.

Amanda Lisbôa disse...

se o mês 3 for melhor que os outros dois...
a história do "eu choro até em filme de comédia" vai voltar à tona!! rsrsrsrsrsrs

Lua S. disse...

Oii Rodolpho

Adorei essa segunda parte. Bem profunda.

beijos