Contagem regressiva - Mês 1

Hora do conto

Eu precisava contar aquilo para alguém, precisava dividir o peso daquele fardo. Todos os meus dias, minhas ações, minha vida, me trouxeram até esse ponto derradeiro. E não tinha mais volta.
Quando o médico deu sua sentença, meu coração parou de bater por um segundo, minha respiração me sufocou, mas eu contive as lágrimas e tentei ser forte. Esbocei um falso sorriso e sai depressa do consultório.
Em casa, no meu refúgio, abraçado ao meu cachorro, deixei todas as lágrimas rolarem, até não sobrar mais nada, mas sempre havia mais, elas não paravam de vir.
O pensamento que me ocorreu era de tudo havia sido em vão, todos os esforços, gestos, todo tempo perdido. Para quê? Para nada. Mas outro pensamento pairava no ar, tenho que contar para alguém. E tem que ser ela, a minha melhor amiga.
Ela veio em uma de suas visitas de rotina no meio da semana, para falarmos da vida, dos planos e jogar conversa fora. Ela sabe me ler e interpretar meus olhares e sabe quando tenho algo para dizer, mas não consigo. Só bastou que perguntasse se tudo estava bem para que eu revelasse o que o médico dissera.
Revivi aquele momento angustiante, quando ele baixou os olhos para seus prontuários e disse metodicamente:
- Você tem seis meses de vida. Sinto muito.
E hoje faz um mês que essa frase me assombra.

EM BREVE - MÊS 2

Compartilhe

Mais sobre o dono dos sorrisos

Autor de sorrisos. Sou aquele que fala sobre o que sente e o que não sente com a mesma veracidade. Há quem diga que sou feito de palavras e quem sou eu para discordar? Ao ler minhas (entre)linhas nosso laço se aperta e assim podemos ser íntimos, de alguma forma. Contatos: rodolpho.padovani@hotmail.com

16 sorrisos compartilhados:

Milla disse...

Dar essa notícia para o paciente deve ter sido pior para o médico, mas para quem recebe com certeza não é fácil..Ver o tempo sendo contado. Lembrei de um filme que eu assisti, só que em vez de seis meses eram sete dias..Estou curiosa pela continuação :)

beijos

Rebeca Amaral disse...

cara, que ideia fantástica!
você é sempre tão criativo!
muito bem escrito o texto.
e o tema? nossa! tenso, não é?

quero ler mais e mais!

beijos!

Mandy disse...

Nossa Rod, ficou muito bom viu. Realmente deixou todo mundo morrendo de vontade de ler mais. Adoro os teus textos, e os contos mais ainda. *-* Acho que eu posso dizer sem medo que você tem um dom. O dom mais incrivel que pode existir, o de encantar com simples palavras e frases.
Obrigada por me fazer sair daqui sempre com os olhos brilhando :)
Beijão e eu já alimentei as carpas. hduaisohidua.
Mandy

Tati disse...

Quero mais e logo Moço.

Está excelente

Beijos

Rafaela Cabral . disse...

Ficou ótimo rodolpho :D adoro seus posts e o teu blog . rs ! beijinho :*

Gabriela F. disse...

Ah, quero que continue! :D
Gostei, e espero que ele saiba aproveitar esse temp. Porque por mais dolorosa e cruel que seja esta noticia, é privilegiada; ele agora poderá fazer o que sempre teve medo e falar o que lhe faltava... ou não?
Beijos

@juusep disse...

Já disse que te admiro pacas? E que você escreve MARAVILHOSAMENTE BEM?

AAAAI POSTA LOGO? *-*

Thizi disse...

Pelo visto esse conto maravilhoso com um outro lado meio dramatico vai ter 6 partes!

Rebeca Rocha disse...

Belo conto.

Babizinha disse...

Adorei a sua ideia de "Hora do Conto" e para você estar no terceiro conto o pessoal se animou mesmo com tamanha criatividade.

Eu, por exemplo, estou escrevendo agora uma espécie de "conto - saga", mas me bate um desespero com medo das ideias fugirem. rs

Volto mais vezes para conferir a continuação.
Beijos
:*

Brunno Lopez disse...

Não existe hora certa pra se sobreviver, não?

Agradeço sua visita, gostei do que andei lendo por aqui.
To seguindo.

Jaci Macedo disse...

aah, adorei ^^ espero logo a próxima parte. muito bom mesmo. beijos (:

Marcia Fabiana disse...

Adorei...

Espero anciosa a continuação

=)


beeijo

Jaqueline Jesus disse...

huuum... que tenso! não sei oque faço se recebo uma notícia dessas ;s

Jorge Lima disse...

Legal vamos ver até onde vai!!!!

Lua S. disse...

Oii Rodolpho

è a primeira vez que venho aqui ao seu blog, e ai dei de cara com esse conto, bem vou ler ele des do começo e comentar né.

Achei muito interessante.
Beijos