Keblinger

Keblinger

Esparr[amar]

| terça-feira, 11 de novembro de 2014

Era um homem que fora menino,
que uma vez pequenino sonhou com o amor,
mas seguiu seu caminho sozinho
partindo do ninho feito beija-flor.
Namorou devagar e mansinho,
porém em seu peito jamais encontrou
um sentido pr'aquele carinho
que era vazio, então se desencantou.
Passeou pelo mar e por terra,
e seu sorriso tolo, ele semeou.
Já sabido que o tal do cupido
de óculos perdidos seu coração não acertou.

O menino agora crescido
entendeu que o destino não lhe abandonou.
Era o seu dever ser cumprido de queixo erguido,
conquistar o amor.
Sendo assim, de cessar sua busca ele logo tratou,
pois o homem por ser distraído
nos dias corridos um dia encontrou
tudo aquilo que fora pedido,
e até bem sabido que nunca precisou.

Esse homem de olhar destemido
pelos cantos sumidos seus olhos lançou.
Bem vestida de um jeito bonito,
toda sua atenção ela capturou.
E o seu par de sorriso perdido
assim timidamente lhe acenou.
Foi então que em seu peito abatido
tudo aquilo querido se esparr[amou].

Das produções de um noite de insônia.
Sorridentes queridos, semana passada o blog completou 5 anos de postagens e eu, sendo um blogueiro relapso que sou, não celebrei devidamente essa data. Queria apenas agradecer a quem ainda se perde na estrada e vem parar aqui em casa. O tempo ~ sempre ele ~ me priva de escrever (exceto em momentos insones), mas sempre que der surpreendo vocês com uma postagem nova. Um grande abraço!
 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso