Keblinger

Keblinger

Cante para mim

| quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

 (…) And when you speak, angels sing from above
Everyday words seem to turn into love songs…

Cante uma canção para mim, rime beijo e alecrim e me faça suspirar. Cante mi, baixo sol e lua em fá. Conte estrelas sem dó, roubando o brilho só para si. Cante cá e cante lá, do avesso ou cante em ré. Simplesmente cante.

Rabisque meu nome junto ao seu em verso e prosa, costure a poesia entre vírgulas e embrulhe tudo em fina seda. Enlace com fita de cetim e sopre um beijo no nó.
Toque as cordas de seu coração, pulsando no ritmo e compasso de nosso ser. Seja trovador e eleve a voz.
Cante apenas canção serena para em meu ouvido habitar, me ensine a letra e melodia e me prenda no refrão.
Cante baixo, cante alto, cante em tom ou semitom.
Faça-me dormir no embalo desse som, carregue-me em sonhos e aqueça o violão.
Toque a nota, nota toque-me, toque lira e violino. Nine minha alma nesse trino.
Cante como um passarinho, um rouxinol que sai do ninho louco pra poder voar.

Venha assim, bem de mansinho, emudece meu silêncio e me faça entoar, esse som tão bonitinho inspirado em me amar. 

Porque a música inspira!

5 sorrisos compartilhados:

{ Manie } at: 21 de fevereiro de 2014 11:33 disse...

ai ♥
que lindo seu texto, Rodolpho!
sou apaixonada (grife o APAIXONADA) por música e por literatura, então juntar os dois, pra mim, é como comer um pedaço enorme de torta de morango hahahaha

você continua com a mesma autenticidade e delicadeza com as palavras... adoro!

se eu estivesse amando alguém, com certeza enviaria esse texto (com seus créditos, claro).

ps: NÃO ACREDITO QUE A GENTE AINDA PODE ALIMENTAR AS CARPAS AQUI!!! que saudade que eu tava disso.

beijos

www.pe-dri-nha.blogspot.com

{ Tati } at: 22 de fevereiro de 2014 11:30 disse...

Delicioso de ler. Deu até vontade de cantar essa poesia!

Fez um carinho por dentro.

{ Alexandre Lucio Fernandes } at: 26 de fevereiro de 2014 00:59 disse...

Que texto mágico. Tem a melodia do amor. Composto por um coração adornado em ternuras. Que lindo e demasiado romântico.

Você sempre exalando o melhor dos sentimentos meu amigo.

Bom ler um texto seu.

Abração!!

{ Sara Raquel } at: 27 de fevereiro de 2014 22:40 disse...

Eu passo muito tempo sumida do meu blog, dos blogs alheios, e sempre que volto penso "nossa, como fiquei tanto tempo longe?". Rod, você é sempre sublime no que escreve. Que delícia de texto é esse? Um afago gostoso no peito, uma vontade de reler pra sempre, e uma certa chateação por o texto ter acabado. Dá vontade de ler mais, cada vez mais você. Não é à toa que esse teu cantinho continua sendo um dos meus preferidos, desde que entrei em contato com a blogosfera pela primeira vez. Agradeço por você continuar a me presentear com coisas tão belas. É assim que me sinto ao te ler: presenteada. Eu estava com uma saudade absurda de alimentar as carpas, acredita? Lembro que apelidei uma delas de Bernardete ♥ (risos). Rodolpho, como não te admirar? Desejo mais inspiração à você! Vou tentar passar mais vezes por aqui, como antes. Não me esqueça. Não te esqueço. Beijos na testa.

http://sararsc.blogspot.com.br/

{ Graziele Santos } at: 18 de março de 2014 14:20 disse...

Sempre que vou produzir algo tento ter música por perto, por que me acalma (músicas mais tranquilas, pelo menos). Tenho um amigo que cantava pra eu dormir, acho que isso me marcou pra sempre.

Graziele Santos
(http://lamiaparticolare.blogspot.com)

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso