Keblinger

Keblinger

Pra não dizer que não falei das pessoas

| domingo, 30 de dezembro de 2012


(…) To believe I walk alone
Is a lie that I've been told…

Vamos falar de pessoas. Vamos nos lembrar das pessoas. Vamos celebrar as pessoas.

Pense em quanta gente encontrou sua razão de viver nesse ano; pense naqueles que sofreram por não saber seu lugar; pense em todos aqueles que deixaram tudo para trás e partiram em uma nova jornada sem volta; pense naqueles que nasceram.
Quantas pessoas que você tem ao seu redor realmente conhecem a pessoa que você é? Quantas histórias há por trás de cada rosto na multidão?
Às vezes parece fácil viver nesse mundo em sociedade, você ouve um problema e simplesmente diz “é a vida”, como se culpar a vida fosse uma coisa muito inteligente de se fazer ou talvez você se expressa com um “acontece”, é claro que acontece, coisas acontecem o tempo todo. Muitos otimistas ainda escolhem o caminho do “tudo vai ficar bem”, mas quem são eles para garantir tal coisa? Você pode ouvir até um “era pra ser assim” como se a vida de todos estivesse escrita nas estrelas e todos nós estivéssemos sempre, inconscientemente, seguindo algum roteiro estúpido. É fácil ser o tipo de gente clichê, era isso que eu queria dizer.
Ora, respondendo uma das perguntas feitas, a maioria das pessoas ao meu redor não tem a mínima ideia de quem eu sou verdadeiramente e isso talvez não seja culpa delas – é que eu crio muros para mantê-las do lado de fora e admitir isso não me deixa envergonhado – mas se vocês soubessem, estariam ponderando “por que ele está escrevendo sobre pessoas?” Se você me conhecesse saberia que eu não gosto de pessoas, bem, não da maioria delas. Quer dizer, eu gosto das minhas pessoas, se é que você me entende.
O que esta escrita está se tornando, céus!? Eu supostamente deveria estar fazendo apenas uma introdução para minha última postagem de ano. Vê? Perdi totalmente o senso ao deixar os bastidores de minhas intenções expostas dessa maneira, mas às vezes é preciso permitir que as pessoas entrem.
Sim, você tem que deixar as pessoas entrarem em seu quarto bagunçado e conhecerem quem você é. Pode ser que muitos não aguentarão se houver escuridão; outros se queixarão por não ser como imaginavam; haverá aqueles que tentarão fazer mudanças e pode ser que algumas de suas ideias sejam realmente boas; alguns tentarão avidamente permanecer, mas fracassarão por fraqueza; há, porém, aqueles que ficarão, ainda que perturbados por certas inquietações, mas ficarão, por respeito, por afeto, por amor, até.
Pessoas são estranhas. Cada qual com seu grau de estranheza e umas mais que as outras. Pessoas não são perfeitas e apesar de isso ser extremamente evidente, há quem pense o contrário. Nós erramos praticamente a vida inteira, gastamos nosso tempo tentando consertar erros passados enquanto deveríamos estar vivendo com a lição aprendida. Pessoas são teimosas, talvez seja por um quê de egoísmo que diz “a minha opinião é melhor que a sua e ponto”. Pessoas são complexadas, esse pode ser o motivo de não deixarem que outras pessoas lhes conheçam inteiramente.
Depois de tudo isso escrito, pense em como seria sua vida sem todas as pessoas que estão ao seu lado. Pense profundamente, pense no geral, pense no individual.
Pessoas vêm e vão durante a vida da gente, esse é o processo natural das coisas. Ninguém é para sempre e mente quem diz e quem acredita nisso. Algumas passam um tempo a mais, mas eventualmente elas também partirão ou você partirá da vida delas.
Pense em quem veio, ficou e partiu nesse ano que passou. Lembre-se de todos, pois é com a ajuda ou influência de suas pessoas que você se tornou quem você foi um dia e quem você é hoje.

Que você seja uma pessoa melhor no ano que virá. É o que eu desejo.

Bom, galera, essa foi minha última postagem de 2012, um ano bom para mim e não tão bom para o blog, infelizmente me afastei daqui por motivos que, na verdade, não justificam muito bem minha ausência - sim, culpa do tempo. Enfim, que ainda possamos continuar juntos, eu do lado de cá e você de onde quer que esteja. Que você tenha todas as possibilidades de fazer um ano novo incrível, pois um ano bom é a gente quem faz. Abraços e nos vemos em 2013. Ah, ouça a música =)

0 sorrisos compartilhados:

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso