Keblinger

Keblinger

Serial Killer - Parte 6

| terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Hora do conto - Para entender, leia a Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4 e Parte 5

O Historiador
Por Natalie Smith

A polícia tenta manter em segredo a existência de um assassino em série na cidade. Os últimos crimes, embora distintos possuem uma ligação. A primeira vítima, Mary Ann, 27, foi executada de uma forma parecida com a dos famosos crimes de Jack, o Estripador. A segunda vítima, Bernice Hogan, 52, foi brutalmente assassinada numa pavorosa recriação de um crime de Eddie Glen, o perturbado fazendeiro de meia-idade que inspirou os filmes Psicose e O Massacre da Serra Elétrica. Uma fonte do Departamento de Polícia informou que o próximo crime iminente se trata de uma versão de algum assassinato do Zodíaco, famoso assassino em série que nunca foi capturado e que enviava criptogramas para o jornal da Califórnia antes de cometer os crimes.
A cidade está apavorada com esse perigoso criminoso a solta, contudo a polícia não tem nenhuma prova concreta de como o assassino age e tampouco estão perto de identificá-lo.
Será que esse assassino, agora chamado de O Historiador pela população, vai ser mais um a escapar impune pelos crimes que cometeu?

- Alguém quer me explicar que palhaçada é essa? – berrou o sargento atirando o jornal da manhã sobre a mesa. Ninguém respondeu – Como essa mulher obteve essas informações privilegiadas? Eles deram um titulo a esse assassino, esse não é o tipo de popularidade que precisamos, vocês têm ideia da pressão que vamos sofrer de agora em diante? A mídia toda vai cair em cima de nós como um bando de abutres esfomeados. Eu quero saber quem é a maldita fonte dessa cretina e quando eu descobrir eu nem sei o que vou fazer...
- Era só uma questão de tempo até que alguma informação vazasse... – começou Amir.
- Você está se entregando, Fayad? Foi você quem deu essas informação para aquela vaca?
- Não, senhor, eu só estou argumentando que...
- Acho bom mesmo, pois se foi um de vocês, considere-se demitido e com uma carreira destruída. – ameaçou McNeil.

***

- Pelo menos uma noite boa de sono, sem nenhuma morte – comentou Rita com Samuel no refeitório.
- Pois é, mas já temos dois crimes para lidar e o terceiro pode acontecer a qualquer momento.
- Que loucura essa matéria, não é? – perguntou Joshua sentando-se à mesa com uma bandeja.
- Eu lembro de ter visto essa mulher rondando a central por esses dias, mas com quem será que ela falou? – indagou Amir que acompanhava o fotógrafo.
- É melhor não ficarmos especulando, pode ser pior – aconselhou Samuel.

***

Samuel passou o resto dia se culpando por ter dado informações para a repórter que o chantageara e quando deixou a central foi para casa esperar por Rita, que ficara até mais tarde no escritório preenchendo uma papelada de relatórios.
O sargento ficou até tarde também, revoltado com o que lera no jornal e com ódio do assassino sem rosto e sem nome.
Amir passou em seu apartamento para deixar sua bolsa de equipamentos e saiu pela noite.
Joshua passou em uma lanchonete antes de ir para casa e depois decidiu que tinha que compensar o sono atrasado.

***

O casal estava dentro do carro, na beira da estrada deserta. O garoto estava excitado, tinha pego o carro sem o pai saber e levara a garota até ali na esperança de se dar bem.
O som de outro carro se aproximando chamou a atenção dos dois. Era por volta das 23:00h.
Um homem encapuzado saiu do outro carro e caminhou em passos lentos até a frente do carro do casal.
- Saiam do carro – ele ordenou.
A garota se soltou do cinto e abriu a porta. O rapaz assustado se preparou para sair, mas antes que pudesse deixar o veículo foi atingido por um tiro na cabeça. A garota gritou desesperada e correu para longe. Mais cinco tiros ecoaram na estrada escura.

EM BREVE – PARTE 7

6 sorrisos compartilhados:

{ @barbarakang } at: 15 de fevereiro de 2011 00:39 disse...

PARTE SETE RODOLPHO! kk VOU ESPERAR!

{ Jehnny } at: 15 de fevereiro de 2011 12:06 disse...

Seus textos são lindos *----*

{ Circus } at: 15 de fevereiro de 2011 13:03 disse...

Ai, infelizmente não tenho tempo de ler as outras partes agora, mas ao menos conferi a parte 6 e gostei bastante. Fiquei curiosíssima pra saber como tudo isso começou, ARGH, quero ler, quero ler! Logo ;)

{ Tati } at: 15 de fevereiro de 2011 15:52 disse...

A pqp Menino que chato, vc para bem na hora 'h'.
Droga! Quero mais.

{ Priscilla Cavazzotto } at: 16 de fevereiro de 2011 14:36 disse...

Olá!
Gostei daqui e agora te sigo!
Beijos meus

{ • cynthia bs } at: 23 de fevereiro de 2011 11:00 disse...

Mais uma vítima? :O
E, minha Nossa! Coitado do Samuel! Que peso na consciência, não?

Correndo para a sétima parte, viu? Está ótimo este conto (:

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso