Keblinger

Keblinger

Férias na mansão - Parte 5

| domingo, 23 de janeiro de 2011
Hora do conto - Para entender, leia a Parte 1, Parte 2, Parte 3 e Parte 4

Jesse e eu descemos rapidamente as escadas e fomos ver do que se tratava aquele grito. Encontramos a criada na porta do quarto de Lily.
- Ela teve um pesadelo, só isso – a velha nos disse.
Lily saiu do quarto, agarrada a uma boneca e forçando uma cara de inocente e disse:
- Foi um sonho ruim, mas já acordei.
Deixamos as duas e fomos até o jardim, para pensar como desvendaríamos o próximo enigma.
06/08/1945 – A bomba atômica é lançada pelos EUA na cidade japonesa de Hiroshima.
Relemos várias vezes e não conseguimos encontrar nenhuma resposta.
- Vovô sabia sobre nossos estudos, certo? – perguntei para Jesse, uma linha de pensamento começava a se formar.
- Acho que sim, ele viu nossos livros.
- Exatamente, ele criou esse jogo baseado em nossos livros – eu disse.
- Não entendi – Jesse admitiu.
- A primeira pista foi ligada à química, a reação do calor e a mensagem secreta. Depois usamos matemática ou números, no livro e no relógio e essa última pista é sobre história...
- Então você quer dizer que para descobrirmos a próxima pista temos que usar a literatura?
- Isso mesmo – eu respondi e digitei “Hiroshima + literatura” no celular e pesquisei, assim que vi o resultado percebi o que tinha deixado passar por distração.
- A rosa de Hiroshima, o poema de Vinícius de Moraes – Jesse leu sorrindo.
- A pista está no poema – falei e lemos todo o poema, mas mais uma vez nos vimos em um beco sem saída.
- E se perdemos alguma coisa? – Jesse perguntou depois de um tempo e ao ver meu olhar confuso, começou a explicar – Na primeira pista, vovô usou os números em forma de data, mas que tinham um segundo sentido, depois o século da construção do castelo também tinha um outro sentido, mas a pista que encontramos no relógio teve o sentido correto, “a moldura guarda um segredo”, e se tiver algo mais?
Pensei por um momento e quando me dei conta estávamos novamente no terceiro andar, diante do quadro abstrato. A gravação na madeira estava ali, mas não tinha nada demais, a não ser...
- É claro. A moldura guarda um segredo... o quadro também é o segredo.
Jesse encarou o quadro, tentando entender.
- Se você olhar atentamente, essa mão não tem o polegar – ele falou – É isso?
- O indicador levantado, pode se referir ao número 1 e os outros dedos dobrados ao número 3 – meu primo ainda não acompanhou meu raciocínio. Apanhei meu celular, mostrei-lhe o poema e expliquei – 1ª estrofe, 3º verso.
“Pensem nas meninas.”
- Lily? – Jesse indagou.
- Ela também recebeu o primeiro bilhete. Talvez haja algo mais. Vamos.
Caminhamos de volta às escadas, mas uma porta me chamou a atenção. Passamos tantas vezes por ela, sempre pensando em outra coisa que nunca a notamos. Apontei para o meu primo que exibiu um olhar confuso ao ver um painel eletrônico instalado na porta dupla. Era preciso uma senha numérica de cinco dígitos para destrancá-la.
Ao que tudo indicava, as pistas estavam nos guiando àqueles cinco dígitos.

EM BREVE - PARTE 6 (Final)

8 sorrisos compartilhados:

{ Viiviih M. } at: 23 de janeiro de 2011 12:37 disse...

Está muito bom esse conto,aguardando ansiosamente a parte 6.
Tem selo para você lá no meu blog,espero que goste.
Beijos ;*

{ Jéssica Trabuco } at: 23 de janeiro de 2011 13:18 disse...

Teve que pensar muito em para escrever essa história?
tô loouca pra ver o final o//

{ Jéssica } at: 23 de janeiro de 2011 15:03 disse...

Oii !
Gostei do seu blog.



Visite:
http://xxx-memories-xxx.blogspot.com/

{ Amanda Menezes } at: 25 de janeiro de 2011 00:22 disse...

Quero saber logo o que aconteceu *---* To adorando. :D

{ Nathalie } at: 25 de janeiro de 2011 09:54 disse...

Cadê o livro? Cadê o livro? \o
E de onde vc tira tanta inspiração?
Tô precisando de um pouco, sabe.
:)

{ Carlos F. Dourado } at: 25 de janeiro de 2011 22:59 disse...

Essa historia está me deixando curioso demais. Ta muito bom esse conto.

{ Adriana Antunes Polak } at: 27 de janeiro de 2011 16:07 disse...

...estou amando!!
Vc me encantou.
Bjos.

{ Tati } at: 15 de fevereiro de 2011 14:31 disse...

Eita que cabeça boa que vc tem, to indo ler mais

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso