Keblinger

Keblinger

Carta #7

| domingo, 30 de janeiro de 2011
S.

Nos dias da primavera são os que eu mais penso em ti, nos seus beijos doces e no seu corpo cheirando a rosas. Olho para o sol se deitando no horizonte e peço ao vento para me trazer teu cheiro suave. Mergulho em pensamentos das nossas noites de amor, quentes como brasas, enquanto eu te possuía e você me sufocava naquele abraço apertado, arranhava minhas costas e arfava em meus ouvidos. As noites de primavera me levam a esses devaneios luxuriantes e pecaminosos, me fazem sentir o peso da vergonha nos ombros, me atiram no rosto as blasfêmias que tenho dito e as promessas que eu tenho quebrado. Eu não posso te manter em meus pensamentos, não posso te guardar em meu peito, mas a vontade de ter em meus braços mais uma vez é mais forte que qualquer negação. Meu corpo aprendeu a viver colado ao seu, não posso mais viver sozinho, despregado de seu suor e de sua pele lisa. Quero você aqui e quero você longe, minha vida tem se tornado um martírio cada vez mais doloroso por causa desse paradoxo de ter em segredo dentro do coração e tentar te expulsar da minha cabeça.

N.

Quem acompanhou o conto "As cartas do monge sem nome" que eu postei no meio do ano passado se lembra (ou não) das cartas misteriosas, porém nas sete partes do conto foram apresentadas apenas seis cartas, decidi então escrever as outras, que serão postadas aleatoriamente. Para ler o conto clique aqui (e leia cada parte) e para ver somente as cartas clique aqui.

10 sorrisos compartilhados:

{ Jaynne Santos } at: 30 de janeiro de 2011 16:53 disse...

Fui transpassada por sua arte áfavel e voraz.
Uma carta não somente, um sentimento.
Gostei do blog.
Beijos!

{ Maria Rita } at: 30 de janeiro de 2011 19:00 disse...

Adoro estas escritas feitas com alma...belíssimo!!!

Beijos pra Ti

{ Rebeca Postigo } at: 30 de janeiro de 2011 22:26 disse...

Cartas recheadas de paixão...
Amei!!!

Bjs

{ Amanda Menezes } at: 31 de janeiro de 2011 00:45 disse...

Esse conto foi simplesmente perfeito *--* Adoorei descobrir o que acontece no final com ele. :)
Beijooos

Mandy

{ Flávia } at: 31 de janeiro de 2011 00:59 disse...

Olha só, nem lembravaaa dessas cartas!
hahaha
Maas, gosteeei ^^

Cheio de sentimento e paixão!! hihi
Beijoss =*

{ Jéssica Trabuco } at: 31 de janeiro de 2011 15:20 disse...

Que linda carta.. cheia de paixão.
Adorei!

{ Dri } at: 31 de janeiro de 2011 17:59 disse...

Este paradoxo é uma tormenta.
É uma luta absurda, que não se sabe se pede para ter ou nao ter.
Muito aconchegante seu espaço.
Sigo-te.
Beijos

Adriana

http://calmaamor.blogspot.com

{ Gabriela Furtado } at: 31 de janeiro de 2011 18:46 disse...

Carta mais linda... sou tua fã, cara.
beijos

{ *Amanda* } at: 31 de janeiro de 2011 22:47 disse...

*Saudades das cartas!

Prometi que não leria mais os longos contosss... mas isso é impossível quando se tem o melhor escritor no seu blog!


*Amei a imagem da semanaaaaa*

bjs*

{ Tati } at: 15 de fevereiro de 2011 15:17 disse...

Que legal... Vou ler as cartas e eu amei aquele conto.

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso