Keblinger

Keblinger

Trocando o calendário

| sexta-feira, 31 de dezembro de 2010
O velho levantou-se da cadeira assim que viu o jovem se aproximando. O velho estava fraco. Cabelo e barba grisalhos. Recurvado sobre uma bengala. O moço que chegava esbanjava vigor e parecia emanar felicidade.
- Como foi tudo? – ele perguntou ao chegar perto do velho e apertar-lhe a mão.
- Não há como agradar a todos, muita coisa aconteceu. Houve tragédias, catástrofes horrendas e calamidades de todos os tipos, as pessoas ficaram horrorizadas com muita coisa que viram, mas também houve muito amor e serenidade. Muitas pessoas descobriram sua verdadeira essência, outras aprenderam o valor das coisas, tiveram aquelas que erraram durante quase todo o percurso e só no final perceberam que não valia mais a pena insistir no erro. Houve encontros e desencontros, amores e desamores. Muita gente se viu apanhada no meio de um sentimento confuso dentro do peito e se renderam a ele, outras resistiram e o perderam e houve ainda aquelas que sempre o trouxeram consigo.
- Parece uma grande responsabilidade – o jovem observou.
- Sem dúvida alguma, é muita responsabilidade. Hoje muitos me amam, dizem que eu fiz maravilhas em suas vidas enquanto outros me detestam e querem me ver pelas costas. Mas sabe, nenhum dia é igual para todo mundo, cada um vive uma coisa diferente e experimenta coisas novas. Não existe um manual de como devemos agir, a vida vai ensinando conforme você a vive.
- O que mais você pode me dizer?
O velho pensou por um momento e respondeu:
- Você deve ter muita calma e paciência com todos eles, principalmente no começo, você é jovem e vai acabar cometendo erros, mas isso é normal. Não se culpe por aqueles que interromperem o percurso sob seu “reinado”, há muitos que ficaram para trás e nunca poderão te conhecer e, além disso, há aqueles que abrirão os olhos para a vida enquanto você estiver por perto.
- Pelo jeito eles esperam muita coisa de mim.
- Com certeza, eles sempre se enchem de esperança nessa época. Vão lhe pedir amor, paz, dinheiro, sucesso, felicidade e muito mais. Farão promessas para uma vida nova que nem sempre irão cumprir, mas não se frustre por isso, sua missão é apenas acompanhá-los. Alguns se prendem a simpatias estranhas e você pode até dar risada das coisas que eles são capazes de fazer quando te virem chegar.
- E se eu não for bom para eles? Não quero ser odiado.
- Eu já lhe disse, nunca seremos capazes de agradar a todos e você não deve se preocupar com isso, pois você só saberá se foi bom ou não, quando estiver velho como eu e então isso nem importará mais. O que vai fazer de você bom ou não, serão eles. Eles têm o controle de tudo, de criar e cessar guerras, de assassinar e promover a paz. Fique ciente de que tudo pode acontecer. Tempos mistérios estão pela frente, não se prenda ao passado, pois o futuro está em constante mudança. Acredito que não há mais nada que eu possa lhe dizer, você tem que ver com seus próprios olhos.
O jovem consentiu e entendeu o que estava em suas mãos.
- Sente-se – disse o velho apontando para a cadeira – Ela é sua agora – e então ele saiu arrastando os passos pelo caminho contrário ao que o jovem viera.
- Espere – o moço gritou, lá da frente o velho olhou para trás – Adeus, Ano Velho.
Ele sorriu serenamente e respondeu:
- Bem vindo Ano Novo, que você possa ser melhor do que eu.

É isso gente, agora eu só apareço aqui de novo no ano que vem, haha.
Espero que tenham gostado do último conto do ano e não deixem de ler (logo abaixo) meus votos de um feliz ano novo para todos e também ouçam a playlist de ano novo.
Abração e que venha 2011.

8 sorrisos compartilhados:

{ Grafite } at: 31 de dezembro de 2010 15:50 disse...

FELIZ ANO NOVO, meu amigo!
desejo a você um 2011 repleto de aprendizados e realizaçõs!
tudo de melhor, sempre ;)

beijo.

{ Talita Oliveira } at: 1 de janeiro de 2011 16:39 disse...

Desejo-te um Ano Novo Abençoado! Do tamanho dos seus sonhos!

Beijos!

{ Shuzy } at: 1 de janeiro de 2011 19:59 disse...

Fechando o ano em alto estilo. Muito bonito esse post!

E que venha 2011!!!

{ Carlos10 } at: 1 de janeiro de 2011 22:42 disse...

Rodolpho você está de parabéns gostei muito desse post, e seu Blog tem umas historias interessantes agora sim achei um blog interessante.

Abraço cara

{ Maiara :) } at: 2 de janeiro de 2011 02:55 disse...

Sei que o texto é do ano passado, mas o achei fantástico. Senti essa necessidade de comentá-lo. Vi muitos textos sobre essa transição, nenhum tão completo e gostoso de ler como o seu. Parabéns mesmo. Feliz 2011 ;*

{ Tati } at: 2 de janeiro de 2011 14:59 disse...

Nossa. Você me surpreendeu sabia. Pensei em Deus o tempo todo, você cnseguiu me tocar muito. Está lindo e
Feliz ano novo.


Beijos

{ Jaci Macedo } at: 3 de janeiro de 2011 01:24 disse...

Adorei o texto, de verdade. Muito original. Gosto da escrita dos teus contos. Feliz ano novo pra ti também.
beijos, coração.

{ Thiara Ribeiro } at: 3 de janeiro de 2011 10:08 disse...

AH! Lindo, Rodolpho!

Descreveu a passagem de ano muitissimo bem! ^^

;**

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso