Keblinger

Keblinger

Crise natalina - Parte 2

| sexta-feira, 10 de dezembro de 2010
Hora do conto - Para entender, leia a Parte 1

O tweet polêmico do Noel teve uma repercussão extraordinária, rapidamente atingiu milhares de RTs e respostas de todos os tipos, de pais de crianças que souberam do veredicto pela televisão e de crianças que criaram contas justamente para falar com ele.
Alguns o encorajavam a não desistir e continuar em frente apesar do que estava acontecendo, outros o repreendiam dizendo que aquela era uma brincadeira de muito mau gosto, muitos reclamaram e alguns ignoraram o conteúdo da mensagem e fizeram pedidos. Noel se surpreendeu com o que as pessoas conseguiam escrever em meros 140 caracteres.
O bom velhinho teve que se retirar de seu escritório e retornar ao Pólo Norte devido a crescente onda de repórteres ávidos que buscavam uma entrevista oficial. Ele deixou um time de duendes bem treinados para o serviço de manutenção e formatação dos computadores, assim como especialistas da área tentavam recuperar os dados perdidos.

O frio das geleiras o recepcionou com uma lufada de ar e neve. As renas ficaram eufóricas com a presença de seu dono e o desaparecimento de Dasher ainda o preocupava. Era possível que a rena tivesse andando sobre uma fina camada de gelo que se partira e... Ele nem gostava de pensar nisso.
Sua casa no deserto polar é simples e aconchegante, nada comparada o escritório na Finlândia que está sempre movimentado e barulhento por causa da confecção de alguns brinquedos.
Ultimamente as crianças têm pedido equipamentos eletrônicos que os duendes não estavam capacitados para montar, com isso Noel tinha que fazer cotações de preços e comprar direto dos fabricantes, sempre pedindo um desconto razoável.
O velho Noel sentiu uma vibração no bolso de seu casaco vermelho e percebeu que era seu iPhone. Um duende em seu escritório falou sobre uma carta interessante que ele deveria ler e disse que a encaminharia por e-mail. Assim que a carta chegou em anexo em sua caixa de entrada, ele começou a ler.

Papai Noel

Sei que fui uma criança boa, tirei boas notas e ajudei nos serviços de casa. Eu sei que muitas crianças que eu vejo têm tudo aquilo que pedem e talvez nem se lembrem do senhor nessa data. Mamãe diz que elas são ricas e não precisam do senhor, mas acho que não sou rico, porque eu não tenho brinquedos iguais os de algumas crianças que eu conheço.
O natal sempre foi uma época gostosa, adoro panetones e a ceia de Natal, mesmo que não seja igual as que eu vejo na televisão com aquele monte de gente e aquela mesa enorme cheia de comida.
Eu não quero pedir brinquedo nenhum. O que eu quero pedir nessa carta, Papai Noel, é que minha mãe possa ter um bom natal.

Nicolas.

EM BREVE - PARTE 3

8 sorrisos compartilhados:

{ Grafite } at: 10 de dezembro de 2010 23:27 disse...

Adooorei A crise natalina,
você, como sempre, arrasando nas palavras...

saudade daqui,
beijo,
*.*

{ Heloísa Lyra } at: 10 de dezembro de 2010 23:30 disse...

Estou adorando a história! O Noel bem moderno! Eu seguiria esse Noel no twitter hauhau.
Espero que essa crise acabe logo e tenha presentes no Natal ._.
Adorei a cartinha do Nicolas, é difícil uma criança não pedir brinquedo. Será que Noel terá como dar uma atenção especial a ele?
Esperarei a próxima parte :)
Beijo :*

{ Jéssica Trabuco } at: 11 de dezembro de 2010 02:12 disse...

Que menininho mais foufo!
Tô adorando a história e quero saber até onde irá isso tudo!
Um beijo!

{ Veronica Rodrigues } at: 11 de dezembro de 2010 15:41 disse...

Fazia tempo não passava por aqui. Tá tudo novo, tudo otimo.
voltarei...
beijos e bom final de semana.

{ Bell Souza } at: 14 de dezembro de 2010 10:55 disse...

Jesus, quanta criatividade. E que Papai Noel moderno, hein? É, esse mundo tecnológico anda afetando a todos! E a carta ficou sutil!

{ Thiara Ribeiro } at: 17 de dezembro de 2010 14:51 disse...

Acho que tô muito emotiva essa semana!

E esse Papai Noel tá muit moderno! ^^

;*

{ Francilene Suri } at: 19 de dezembro de 2010 12:39 disse...

Hahaha que papai noel moderninho!
Minha nossa! hahaha
Rapaz, esse sim é a versão turbo do bom velhinho!

Beijo.

{ Tati } at: 2 de janeiro de 2011 12:52 disse...

Bom meu Amigo, acho que o que você pretendia com esse conto você está conseguindo. Nos tocar em relação a todo esse mercado que virou uma data que era tão mágica e boa...

Você é fera... To indo achar mais...

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso