Keblinger

Keblinger

Crise natalina - Parte 1

| sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Esse não estava sendo um ano bom para Papai Noel.

O velho Noel possui um quadro de funcionários composto por duendes, esses que estão espalhados por todo o globo, fiscalizando o comportamento das crianças, o qual garantirá ou não seu presente no dia de Natal. Infelizmente os duendes têm um péssimo hábito de surrupiar coisas das casas das pessoas. Pode ter certeza de que se você perdeu algo e só encontrou algum tempo depois, foi coisa de algum duende que certamente teve de devolver o item confiscado depois de uma bronca do bom velhinho.
Além das atitudes impróprias de seus funcionários, Noel estava sofrendo com as despesas, que o levaram a reduzir o orçamento necessário à produção dos presentes. Sem mencionar o desaparecimento de Dasher, uma de suas renas e do congelamento dos cascos das outras (que vivem em sua casa no Pólo Norte), o que o levou a inventar o "aquecedor de cascos de renas", ideia a qual ainda necessita de patenteamento e a contratação de um engenheiro de máquinas para torná-la real (o quanto antes), o que lhe custará ainda mais gastos imprevistos.
Como se não bastasse a maré de azar, em seu escritório na cidade de Rovaniemi na Finlândia, todos os computadores conectados em rede, responsáveis pelo banco de dados sobre o comportamento das crianças, perderam todos os arquivos devido a um poderoso vírus, causando uma tremenda dor de cabeça para Noel que em alta temporada de fim de ano teve que contratar às pressas centenas de duendes e equipá-los com PDAs com a lista de nomes de cidades e crianças para serem fiscalizadas.
Diariamente ele recebia montanhas de cartas com os mais variados pedidos, todas elas eram devidamente analisadas por seus duendes que as dividiam em quatro categorias: "pedido dentro do orçamento (PDO)", "pedido em aprovação (PA)", "pedido utópico (PU)" e "reclamações (R)"
PDO - A criança (dependendo de seu comportamento no decorrer do ano) possivelmente receberá o que pediu.
PA - O pedido está entre as categorias PDO e PU, são itens de valores elevados que dependerão única e exclusivamente do comportamento nos últimos 3 meses.
PU - A criança (por mais bem comportada que seja) extrapolou no pedido, exigindo algo totalmente acima da renda.
R - Cartas de crianças que não receberam o que pediram no Natal passado, muito provável o pedido se enquadrava na categoria PU.

O bom velhinho é um senhor de fibra, todo mundo sabe, mas esse ano o estava consumindo de tal maneira que Noel tomou uma atitude drástica e escreveu em seu twitter (Verified Account):

"Peço desculpas a todos, mas este será um Natal sem presentes. #MerryChristmas"

EM BREVE - PARTE 2

Pessoal, este conto terá 4 partes e cada uma será postada nas sextas-feiras seguintes, sendo assim, a última parte fica para a véspera ou pode ficar para o dia do Natal. Eu sei que ficou meio viajado, mas a intenção é essa, rs. Espero que gostem.

14 sorrisos compartilhados:

{ Jéssica Trabuco } at: 3 de dezembro de 2010 15:36 disse...

Eu adoreii.. :D
Ficou meio viajado mesmo, mas a graça da arte é essa! A gente viajar, pra onde quiser, sem tirar os pés do chão.
Virei aqui ver o resto da história ;)

{ . } at: 3 de dezembro de 2010 17:55 disse...

Sabe que me divertir ao ler seu texto. Cheio de fantasias, o que me agrada e muito. Queria poder ajudar esse Noel, ele deve estar aflito em não poder fazer todas as crianças sorrirem.
Beijo, querido!

{ Heloísa Lyra } at: 3 de dezembro de 2010 19:15 disse...

Nossa, o Noel está moderno com twitter huahua :D
Gostei dessa primeira parte. Adoro o Natal e coisas viajadas, estão... :)
Será mesmo que o Natal será sem presentes? Mas coitado do Noel, não deve estar sendo fácil mesmo resolver esses problemas. Espero que ele consiga resolvê-lo e que as crianças, que não tiverem com um PU, ganhem seus presentes.
Beijo :*

{ Rebeca Rocha } at: 3 de dezembro de 2010 21:18 disse...

Muito bom... Esperando os próximos...

{ Metamorfoses } at: 4 de dezembro de 2010 00:10 disse...

rs! Foi um jeito fantasioso de contar o q de fato acontece... Muito bom, moço, como sempre.
Final de ano eu acho tão deprê...Fico louca pro ano novo chegar e com ele novas possibilidades...
bjs!!

{ Luana } at: 4 de dezembro de 2010 01:08 disse...

Papai Noel com twitter, haha. Amei essa primeira parte (:

{ Juliane Policarpo } at: 4 de dezembro de 2010 09:55 disse...

Continue compartilhando seus sorrisos, adoro vir aqui e me sentir em casa. *-*
Beijo.

{ Flávia } at: 4 de dezembro de 2010 18:52 disse...

kkkkkk...
Ficou viajaadoo =P

Mas, eu adoreeei!
Espero ansiosa pelos outros ;)

Beijóks!!! SZ

{ Renata } at: 4 de dezembro de 2010 19:42 disse...

Pode até nem parecer da minha parte Rodolpho mas te admito muito! Seus contos são maravilhosos, enquanto eu só vivo frustrada por os meus serem uma merda ):

Apesar de infelizmente não acreditar mais em papai noel (não sei nem se um dia acreditei em papai noel) gostei do teu conto. Voltarei aqui para ler as partes seguintes, com certeza!

Au revoir ;*

{ Monique Larentis } at: 4 de dezembro de 2010 21:28 disse...

você escreve muito bem. Adorei a história e estou louca para ler o 'segundo capítulo' hehehe :)

{ Loira } at: 5 de dezembro de 2010 12:30 disse...

Ficou bem legal

mas isso já nao é novidade né
beijoooos

{ Thiara Ribeiro } at: 6 de dezembro de 2010 16:16 disse...

Ficou mágico!
Me fez viajar na maionese!
hahaha

;*

{ Francilene Suri } at: 19 de dezembro de 2010 12:22 disse...

Ah que legal!
Mas um conto especial! haha

{ Tati } at: 2 de janeiro de 2011 12:29 disse...

É rapaz você conseguiu me cativar... Deixa eu correr alí pra ler os próximos capítulos...

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso