Keblinger

Keblinger

O eremita e o dragão - Parte 5

| sexta-feira, 5 de novembro de 2010
Hora do conto - Para entender, leia a Parte 1, Parte 2, Parte 3 e Parte 4

Os dois haviam se encontrado na colina há poucas horas, um havia proposto um jogo de charadas que o outro havia aceitado e das duas perguntas feitas, ambas foram acertadas.
- ... parei de me esconder dos homens, quando você pára de se esconder eles param de procurar. Às vezes as coisas mais óbvias são aquelas impensadas. - o dragão explicava porque estava na colina desprotegido.
- Você não tem medo? - perguntou Rufus sentado diante do fogo.
- Diga-me qual criatura deste mundo não teme a morte, meu caro poeta. - o dragão rebateu calmamente - Enquanto há vida, há que ter medo. Até mesmo aquele ser que se demonstra ser o mais bravo esconde dentro de si um temor que é só seu. Eu temo pela minha vida, não por ser o último de minha espécie, mas apenas por estar vivo.
Rufus compreendeu as palavras do dragão.
- Você acredita no acaso, senhor do fogo?
O dragão se admirou com a pergunta e refletiu por um momento, tentando descobrir de onde ela viera e encontrou sua resposta:
- Você questiona isso devido ao nosso encontro inesperado, correto? - Rufus assentiu calado - Muito bem, não. Não acredito em acaso, acredito que você ter tomado esse rumo e eu estar no meio do seu caminho é algo muito maior do que possamos imaginar, isto estava fadado a acontecer. Você poderia ter tomado um rumo diferente, em um dia diferente, mas não importa em qual trilha estivesse eu estaria lá. Creio que, de alguma forma, seu destino está entrelaçado com o meu e é por isso que estamos aqui, tendo esta conversa.
Rufus permaneceu calado por um tempo e depois concordou com o dragão. Ele jamais teria imaginado que após ter fugido de sua trupe terrível ele encontraria a amizade em um ser que todos julgavam ser um monstro.
O dragão deixara seu lado irreverente de lado por um momento e dialogava seriamente com o eremita, sentindo-se uma criatura de sorte por ter alguém com quem conversar.
- Estou pronto para continuar - declarou Rufus.
O dragão estava adiando aquele momento só para passar mais tempo com o homem, pois se ele resolvesse a última charada ele teria que partir e a solidão voltaria a lhe fazer companhia.
- Sim, perfeitamente, não sei por que estamos perdendo tempo - falou o dragão orgulhoso demais para admitir que havia se afeiçoado ao eremita e proferiu o último enigma, aquele que julgava ser o mais difícil:

Aquele que cospe chamas
Aquele que o homem teme
Sou a fera que tu declamas
Teu poema mais solene
A me ver tu te calaste
Mas por inimigo não me tome
Meu desafio tu aceitaste
Proclame em voz alta o meu nome.

Ao ouvir as palavras, Rufus fechou a cara irritado e levantou-se furioso.

EM BREVE - PARTE 6

Eu não poderia deixar de mandar um obrigado a todos que me desejaram os parabéns por um ano de blog, fiquei muito emocionado com o que as pessoas escreveram, esse espaço tem me proporcionado coisas boas e com isso conheci muita gente especial. De verdade, muito obrigado mesmo por todos que estão sempre por aqui.
Mais uma coisa, criei um twitter para o colocar frases do blog, quem quiser seguir é @artedeumsorriso.

7 sorrisos compartilhados:

{ Gabriela Furtado } at: 5 de novembro de 2010 19:29 disse...

Nem precisa dizer, né?
sabe que sou apaixonada por teus contos. MUITO bom
beijos

{ *Amanda* } at: 5 de novembro de 2010 19:41 disse...

Olá Rodolpho!
Bom, como pediste, vim aqui avisar que o concurso já está no ar, lá no blog! Espero que participe se quiser, claro.
O link é esse: http://primeiro-livro.blogspot.com/p/concurso-happy-end-2010.html

Abraços!

{ Tati } at: 5 de novembro de 2010 21:47 disse...

Ai ai Rodolpho quanta doçura e encanto... Eu amei o conto até aqui, estou adorando tudo... Encantador mesmo!

Espero por mais cheia de ansiedade.


Beijs

{ Mariana Leal } at: 5 de novembro de 2010 21:58 disse...

liiiiiiiiindo , adorei espero pelo proximo

{ Rebeca Amaral } at: 6 de novembro de 2010 17:41 disse...

Ainda vou tirar um tarde pra ler esse conto... O título me parece tãããão sugestivo!

{ Heloísa Lyra } at: 6 de novembro de 2010 18:20 disse...

Ahhh, agora acho muito difícil Rufus acertar.

{ Thiara Ribeiro } at: 12 de novembro de 2010 22:55 disse...

Tão sábio esse dragão!
Acho que vai acabar nascendo uma amizade bem bonita desse encontro! ^^

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso