Keblinger

Keblinger

Três amores e uma guerra - Parte 5 (Final)

| quarta-feira, 6 de outubro de 2010
Hora do conto - Para entender, leia a Parte 1, Parte 2, Parte 3 e Parte 4

Cartas

(...) o adeus que eu nunca disse vem a ti por essas linhas tristes. A vida é uma estrada a qual não vemos o fim, nem sabemos o que a curva logo a frente guarda para nós, mas em uma dessas curvas eu encontrei você e meus passos nessa estrada se tornaram mais leves e felizes, você trouxe amor e carinho para mim, trouxe dedicação e se entregou completamente. Eu queria que tudo tivesse sido diferente, queria que você nunca tivesse que ler essa carta e nem sofrer pela minha falta... Eu espero que você entenda que nem tudo acontece da maneira com que queremos e que devemos sempre nos despedir das pessoas com um sorriso no rosto e uma palavra de carinho, pois pode ser que aquela seja a última vez que a veremos, não guarde remorsos por qualquer coisa, apenas se lembre de como eu era feliz quando estava contigo, lembre-se do meu sorriso e do som da minha voz e assim você me manterá vivo, dentro de você...

Cameron ergueu os olhos molhados para o homem que lhe entregara a carta, desde aquela manhã em que estivera na casa dos pais de Oliver e recebera a notícia de sua morte ela sentia como se tivessem feito um buraco em seu ser e aquele espaço jamais seria preenchido novamente, ela perdera seu chão. Sentia dor, falta de ar e o peso de uma culpa que não era dela. As palavras de seu amado a trouxeram um pouco de paz e ela sabia que enquanto vivesse ele viveria através dela, em cada batida de seu coração.

(...) não me arrependo do que vivi, do que disse e do fiz enquanto estive com você. Eu me arrependo de não ter te amado mais, de não ter te dito a cada segundo que você era a mulher feita para mim, de não ter te beijado a cada minuto de nosso tempo juntos. Por meio destas palavras duras e cruéis eu venho lhe dizer que meu futuro sempre te pertenceu, venho compartilhar um pouco mais do meu amor que de tão grande não cabe nessas linhas. Nenhum de nós jamais esperou por esse golpe cruel do destino, jamais esperávamos ser separados dessa maneira, mas eu quero que você siga sua vida, não fique presa em um passado ou em suposições do que teria sido se eu estivesse ao seu lado. Eu quero que você saiba que os dias mais coloridos e incríveis da minha vida foram aqueles em que meus braços estiveram em volta de ti e que meus lábios se encontraram com os seus. Eu não tive uma segunda chance, uma chance de voltar e continuar a nossa história, mas você tem a chance de fazer isso e quero que o faça, por mim. Viva, seja feliz, ame e saiba que em qualquer lugar em que eu estiver, estarei olhando por você e contemplando seu sorriso lindo...

A moça manteve a cabeça baixa enquanto o papel se manchava com as lágrimas que despencavam de seu queixo. Suas mãos tremiam e sua cabeça girava por saber que jamais o veria outra vez.
- Ele pediu para eu te dizer que ele sente muito - ela ergueu os olhos para o homem - Eu estou vivo por causa dele, ele foi um verdadeiro herói - ele falou encarando os olhos marejados dela e se sobressaltou quando ela o abraçou com força e chorou em seu ombro.

Reencontro

O soldado se despediu das moças, sentindo a dor que sentiam e imaginou como seria se alguém entregasse a sua carta a sua amada, mas assim que a viu, com aquele sorriso largo, esse pensamento desapareceu e ele correu ao encontro dela.
- Eu não sei o que faria se você não tivesse voltado - ela o abraçou com os olhos cheios de lágrimas.
- Eu prometi que voltaria, não foi? - ele segurou o rosto delas com as duas mãos, o observou por um momento, como se quisesse gravar essa imagem e lhe beijou como se fosse o último beijo. - Onde ele está?
A moça fez um gesto e uma senhora se aproximou carregando um lindo bebê nos braços.
- O Júnior é teimoso como o pai - Terri disse sorrindo.
Brandon tomou seu filho nos braços, sorrindo entre lágrimas, como se a felicidade fosse se derramar de seu corpo, o beijou delicadamente e abraçou sua mulher. Ele estava de volta para sua família e ali era o lugar de onde nunca mais sairia.

Finalmente o fim, espero que tenham gostado de mais esse conto. Se o casal pelo qual você torceu não teve um final feliz, eu espero que tenha aprovado o final que eu escolhi. Confesso que quando comecei a escrever eu ainda não sabia qual deles retornaria, analisei cada caso e escolhi o que achei que merecia mais, não que os outros não merecessem... ah, vocês entenderam. Abraços.

9 sorrisos compartilhados:

{ Carolyne Mota } at: 6 de outubro de 2010 19:23 disse...

Não li todo o conto, mas o pouco que li já deu pra perceber que é maravilhoso.
Adoro esses romances interrompidos pela mão do destino e amo mais ainda os finais surpreendentes e reecontros inusitados.
Um beijo!

{ Tati } at: 6 de outubro de 2010 20:36 disse...

Amei.

Beijos

{ Heloísa Lyra } at: 6 de outubro de 2010 20:37 disse...

Gostei do final, você sabe escrever muito bem. Foi triste, mas o que eu estava torcendo pra voltar pra casa voltou.
Como você disse, não que os outros não merecessem, mas já que tinha que ser apenas um...

{ Gislãne } at: 6 de outubro de 2010 21:04 disse...

gosto muito de cartas.

lindo texto

:)

{ *Amanda* } at: 6 de outubro de 2010 23:53 disse...

Rodiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... escolhaaaa certaaa...

uma boa história.. tem que ter um bom final... e esse foi perfeito!

Simplesmenteee A M E I I I I !!!!

P.S. clarooo que foi melhor do fim que imaginei... rsrsrsrs... mas foi o meu escolhido... então.. tá valendoo! rsrsrsrs...



saudade master*

bjs*

{ Jaci Macedo } at: 7 de outubro de 2010 20:46 disse...

Lindo, extremamente lindo.
Suas palavras são muito bonitas. Acho incrível como sabe usá-las. Suas histórias sempre me comovem.

beijos, coração.

{ Thiara Ribeiro } at: 7 de outubro de 2010 22:10 disse...

Mesmo que tenha dado tdo certo para o casal que torci, não deixo de me sentir triste pelas outras duas histórias!

Foi um conto emocionante, Rodolpho!

;*****

{ Polyyany R. Ramos } at: 9 de outubro de 2010 00:45 disse...

-
Foi mt, mt triste.. juro qe eu to com o choro preso até agora.. e eu sinceramente preferiria qualquer um dos outros 2 casais.
eu tô grávida de 6 meses e há 4 meses meu namorado foi trabalhar e infelizmente Deus não deixou ele voltr;

foi triste ver esse conto e re-lembrar tudo como se tivesse sido hoje..


mas foi mto bem escrito, parabéns.. espero poder ler maais *---*


haaaa, meu template é igual ao teu, rs :*:*

{ Jaqueline Jesus } at: 11 de outubro de 2010 17:49 disse...

aah não gostei do final não... to brincando HAHAHAHAH
Ficou liindo, não era o casal que eu pensei mas msm assim eu gostei.
Vc sabe emocionar as pessoas né :D
beeijos

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso