Keblinger

Keblinger

Te carrego dentro de mim

| terça-feira, 19 de outubro de 2010
Para os olhos que jamais vão ler essas linhas.

Eu não sei como começar esta carta, não sei folhear o passado e encontrar o momento ideal para descrever aqui... Bom, acho que vou falar de você, já que o grande motivo de estar escrevendo isso é para que você saiba, de uma maneira ou de outra, quem você foi para mim.
Talvez eu erre na escolha das palavras, talvez eu não alcance a verdadeira essência do que eu tenho para dizer, mas toda essa dor que me consome é grande demais para ficar aqui dentro. Você era aquele que me olhava nos olhos e enxergava muito além de mim, você me via como ninguém mais conseguia. Você era aquele que possuía as palavras certas e sabia usá-las nos momentos oportunos. Você esteve ali ontem do meu lado, me abraçou, conversou comigo, me escutou e disse que tudo ficaria bem, mas você não previu o que aconteceria.
A vida é mesmo uma caixinha de surpresas, mas nem todas elas são boas. Hoje, quando essa caixa se abriu para mim eu pude ver que estava vazia, porque você havia sido tirado de mim. Agora você se foi pra algum lugar onde não posso te trazer de volta, por mais que eu tente, eu não conseguirei. Por mais forte que eu queira ser e aparentar, esse aperto no peito machuca tanto que a dor latente me entorpece e tira meus sentidos...
Na verdade eu ainda não compreendi que você se foi, que não te terei mais ao meu lado, que seus olhos não se voltarão para mim, que o seu sorriso não se descortinará para minha contemplação. Não entendo que não sentirei seu toque quente, que não mais escutarei sua voz sempre atenta e que esse adeus é o último.
Adeus, uma palavra tão curta, mas de um significado tão profundo e de todas, a única que eu jamais me vi pronunciando a você e a que me escapa dos lábios agora.
A morte é tão patética em relação à vida, ou será que é o contrário? Pois a gente vive e simplesmente morre depois, então qual é verdadeiro motivo de se passar pela vida? Talvez eu possa parecer insano ponderando esse tipo de coisa, mas é o que eu penso agora. A morte é a interrupção de tudo, de um livro que você estava lendo, de um projeto, de um sonho... A morte é o fim, se tem algo depois, eu não sei, mas o aqui e agora sem você me soam estranhos.
Depois de todo o clichê dos “sinto muito” e “meus pêsames” eu ainda vou continuar aqui, a fitar o vazio do meu lado, apenas preenchido por um vento frio que sussurra lembranças de quando eu te tinha por perto, que me trazem suas palavras, seu sorriso, seu olhar... Ah, como eu daria tudo para ter mais um dia com você, para te fazer entender que sua presença era importante e essencial para mim.
A morte pode ter levado para longe, ter te roubado o ar e as batidas de seu coração, mas ela não te roubará de dentro de mim, pois aqui, nesse cantinho secreto, eu te carregarei até o dia em que nossos caminhos se cruzarem novamente.

Daquele que deixou a tristeza se derramar pelo papel.

Pauta para o Bloínquês

Não mencionei alguém em específico na carta, como um pai, mãe, parente ou amigo, justamente por saber que cada um possui alguém a quem essa carta se destinaria. Então, interpretem como lhes convir.

18 sorrisos compartilhados:

{ Karenzinha } at: 19 de outubro de 2010 17:31 disse...

Selinho pra ti no meu blog.

http://kadeniz.blogspot.com/2010/10/selo.html

Beijosss..

{ Ánnyjub's } at: 19 de outubro de 2010 17:34 disse...

está tão lindo este texto (carta)

{ Tatiane Lemos } at: 19 de outubro de 2010 20:00 disse...

aaah que lindo e verdadeiro tudo o que escreveste, sabe Rodolpho, as coisas que escrevemos, não precisam serem lidas o importante é que foram postas pra fora, se o vento levar até os olhos de quem você deseja....

Beijos, linda semana!!!

{ Metamorfoses } at: 19 de outubro de 2010 20:46 disse...

Lindo!!É horrível quando a morte leva alguém q amamos ou quando de alguma maneira a vida nos rouba um alguém precioso... Triste, mas de qualquer maneira acho q a morte é sempre pior. Afinal, a morte é irreversível, pelo menos no campo da matéria, mas dentro de nós permanece vivo pra sempre...bjs!

{ Metamorfoses } at: 19 de outubro de 2010 20:46 disse...

Lindo!!É horrível quando a morte leva alguém q amamos ou quando de alguma maneira a vida nos rouba um alguém precioso... Triste, mas de qualquer maneira acho q a morte é sempre pior. Afinal, a morte é irreversível, pelo menos no campo da matéria, mas dentro de nós permanece vivo pra sempre...bjs!

{ Tati } at: 19 de outubro de 2010 21:20 disse...

Bom rapaz, seus escritos sempre me encantam e tenha certeza que não é porque você é meu amigo ou porque eu goste bastante de ti, mas por eles serem mesmo muito bons.

Fico feliz em passar por aqui e me deparar com algo tão extraordinário.

Muito bem escrita a carta, sensível, profunda, triste e ao mesmo feliz, por poder sentir tanta força e veracidade de sentimentos. Muito Belo, muito reflexivo também.

Beijos

{ Mandy } at: 19 de outubro de 2010 22:42 disse...

Rooooodi *---* ameeei esse novo layout viu, acho que ainda não tinha comentado sobre.
Nossa, sempre que eu fico tempos sem voltar aqui eu me perguntou o porque fiquei ausente. Que carta mais linda *-* Juro que fui lendo e fui encontrando meu avô nela.. :')
Espero que você tire uma maravilhosa colocação viu.
Beijoos
Mandy

{ Natália } at: 20 de outubro de 2010 01:05 disse...

Só uma coisa: esqueça o passado, deixe ele lá atrás, viva o agora. beijo

{ Hiorrana } at: 20 de outubro de 2010 01:43 disse...

Ninguém é eterno, mas como somos humanos, demoramos um pouco pra ssimilar isso.
é super normal. (:

Belo texto, e um bom blog.
bjobjo

{ Flávia } at: 20 de outubro de 2010 13:19 disse...

Nossa, que lindo esse "/
Emocionante, tocante.. Profundoo!

E é claro que a sua colocação é aquelaa... LALA!!! rs

Beeijoos =)

{ Au } at: 20 de outubro de 2010 14:26 disse...

Que bonito, ou devo dizer triste?!
Diferente de muitas pessoas acho que é necessário se esbaldar com a saudade e todas as lembranças, e comigo com o tempo nada diminui, pelo contrario, se intensifica... Só fica mais fácil de lidar.
Ótimo texto, ainda mais com essa idéia de não ser endereçado a ninguém, de poder se encaixar a várias pessoas... Bom, criatividade é algo que não te falta!!!

Abraço Rodolpho!

{ Marcelo Soares } at: 20 de outubro de 2010 20:35 disse...

Perdi uma amiga, minha melhor amiga, a um pouco mais de quatro meses atrás, emocionei-me muito com o textos, nos últimos parágrafos não aguentei e chorei!

Simplesmente lindo!

Abraço!

{ Rebeca Amaral } at: 21 de outubro de 2010 18:49 disse...

UAU! Eu teria um destino bem certo pra ela. É.


Texto incrível!

{ Thiara Ribeiro } at: 23 de outubro de 2010 02:00 disse...

"Na verdade eu ainda não compreendi que você se foi, que não te terei mais ao meu lado, que seus olhos não se voltarão para mim, que o seu sorriso não se descortinará para minha contemplação."

É!

Emocionante! *-*

:)

{ Bell Souza } at: 23 de outubro de 2010 02:37 disse...

Carta maravilhosa. Cheia de sentimentos, conflitos e tristezas.

{ Any } at: 23 de outubro de 2010 20:32 disse...

Hey! Parabéns pelo texto, mereceu no bloinques. :D

{ Doce Nostalgia } at: 24 de outubro de 2010 21:15 disse...

A começar pelo titulo: Perfeito!

Uma carta e tanto!

Ahhhh adoro coisas assim U.U
haha

beijos!

{ paraondefugir } at: 26 de outubro de 2010 17:09 disse...

Não te conheço, acabei de descobrir seu nome pelos comentários, achei seu blog por extremo acaso, mas eu NÃO PUDE deixar de comentar.
Seu texto me deixou emocionadíssima, conter as lágrimas foi realmente impossível. Falar sobre a morte é algo complicado, e não acho que eu tenha lido algo tão profundo e claro como o seu texto/carta.
Parabéns, de verdade!

Beijos

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso