Keblinger

Keblinger

As cartas do monge sem nome - Parte 6

| quarta-feira, 18 de agosto de 2010
Hora do conto - Para entender, leia a Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4 e Parte 5

Me vi sozinho, expulso, vagando de volta pelo caminho que há cinco anos me levara até ele. Apanhei uma de suas cartas que eu levava escondida sobre o hábito.

Suzannah

Não me recordo da primeira vez que pensei em ti desde que vim para cá, nem me recordo de quantas outras vezes eu pensei, depois daquela, talvez seja porque, na verdade, você jamais saiu do meu pensamento. Finalmente tomei coragem para deixar as palavras escorrerem para o papel e um pouco do peso da minha culpa ser depositado nessa folha. Talvez você não entenda porque eu parti, mas nossa vida juntos não era para acontecer, quebramos regras ao ficarmos juntos e nosso pecado trará ao mundo essa criança que você carrega e que talvez eu nunca venha a conhecer.
Não vou negar que te amei, pois cada momento em que estive em seus braços me senti preenchido pelo calor do amor que queimava dentro do meu peito. Eu te amei, eu ainda amo e é por isso que eu fui embora. Eu parti para proteger você e nosso filho, pois certamente se nosso romance fosse descoberto seria o fim para nós...

Desdobrei outra carta, a última que meu pai escreveu:

Suzannah

Meus dias se encheram de alegria quando naquele inverno recebi nosso filho aqui, quando pude finalmente ver seu rosto depois de tanto tempo e dar-lhe o abraço que nunca dei. Ele se parece muito contigo, tem seus olhos e você o deu meu nome. Agradeço imensamente por ter me proporcionado essa paz, tirado de mim o peso da dúvida do que poderia ter acontecido a vocês. Ele me contou que vivem bem, que a colheita está cada vez mais próspera. Há algumas coisas que ainda não revelei a ele e fica a critério seu contar ou não. Meu filho se tornou um homem bom, aprendeu um pouco sobre os votos do monastério, mas talvez não entenda o verdadeiro motivo de minha vida aqui, espero que possa dá-lo algumas respostas.
Ele leva consigo várias cartas que por todos esses anos eu lhe escrevi, leva através delas meu amor e saudade, minha dor e desejo, leva meu perdão. Você é o amor da minha vida e mesmo longe eu nunca vou te esquecer.

Nathaniel

Depois de alguns dias de caminhada, cheguei ao vilarejo e encontrei minha mãe na colheita. Ela correu ao meu encontro, me abraçou, sorrindo entre lágrimas e eu a contei de todos os anos que passei no mosteiro ao lado de meu pai e a entreguei as cartas.
Ela se trancou em seu leito pelo resto do dia e leu todas as palavras que meu pai a ofereceu.
- Venha aqui, Nathaniel - ela me chamou. Caminhei até ela lentamente - Há algumas coisas que você precisa saber.

EM BREVE - PARTE 7 (FINAL)

13 sorrisos compartilhados:

{ Carolyne Mota } at: 18 de agosto de 2010 17:44 disse...

Espero ansiosamente pela parte final! Sei que vai surpreender.

Um abraço.

{ Mali Melo } at: 18 de agosto de 2010 20:03 disse...

Essa historinha do monge é tão... Tão. Linda, poxa.

Esperando pela parte 7. Esperando! *-*
bj bj

{ Cristiano Guerra } at: 18 de agosto de 2010 21:33 disse...

Rodolpho, tem um errinho ali na última frase do texto. "Há alguma coisas que todos nós queremos saber", seria o correto. Não deixa a gente morrer de curiosodade

{ Flávia } at: 18 de agosto de 2010 21:39 disse...

Esse suspense tá me mataaandooo!!! rsrs
Como assim vc parou nisso? Quero saber maiis! =P

Bom, desde o primeiro texto que eu lii... Jamais imaginei que iria partir pra esse rumo! huahauhauha

Parabéns por mais esse!!!
E pelo amor de Deus... na última parte faz o casal acabar juntoooos! kkkk S2
beeijo bb! =*

{ Milla } at: 18 de agosto de 2010 21:57 disse...

Hummm...quero saber o que a mãe dele vai contar pra ele agora. Estou muito curiosa!

Ps. Adorei a Imagem da Semana :)

beijos

{ Tati } at: 18 de agosto de 2010 22:38 disse...

Sinceramente você tem me conquistado em cada Carta. Estou aqui doida esperando vc postar mais.

Um Beijo e parabéns pelo tear.

{ *Amanda* } at: 18 de agosto de 2010 23:25 disse...

uhuuuuuuuuuuu...
essa parte (em breve parte 7) mtooooooo me interessaaaaaaaaaa!!!!!

nhaiii... mtoo bomm!!!!

{ jefhcardoso } at: 19 de agosto de 2010 10:01 disse...

Sabe dixar mistérios no ar.
Jefhcardoso do
http://jefhcardoso.blogspot.com

{ Hoho'n } at: 19 de agosto de 2010 14:47 disse...

Essa história é tão fantástica, cara!
Estou curiosíssima pela continuação!
Você sabe como deixar todos a espera da continuação!
Super beijinhos

{ Grafite } at: 19 de agosto de 2010 21:26 disse...

belas escritas...sinto a leveza em sua essência aqui...
muito bom!

beiijo,
*.*

{ Jaqueline Jesus } at: 21 de agosto de 2010 10:42 disse...

aaaai meu Deus! finalmente o final está chegando *-*
to ansiosa :D
ps: tava com saudades daqui !
beijos

{ Thiara Ribeiro } at: 25 de agosto de 2010 22:25 disse...

Olha tdo que tô perdendo nesses dias longe do seu blog!


Muito bom!

{ Mandy } at: 29 de agosto de 2010 19:21 disse...

Tenso demais agooooooora. Vamos para a parte 7 ;)

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso