Keblinger

Keblinger

As cartas do monge sem nome - Parte 1

| terça-feira, 27 de julho de 2010

Ele apareceu no monastério durante um inverno rigoroso, estava pálido, hipotérmico e à beira da morte. Eu e os irmãos o acolhemos seguindo ordens do Abade, o alimentamos, demos vestes grossas e esperamos. Ele tinha o olhar vidrado, sempre parado em um ponto fixo, como se encarasse algo que somente seus olhos pudessem ver. Nenhuma palavra saiu de sua boca. O batizamos de João. Lhe demos um aposento e um incentivo de vida, ele era jovem, não deveria ter mais de 25 anos e depois de meses vivendo entre nós, ele decidiu se converter, atráves de um pedido por escrito, o Abade permitiu e ele fez os votos. Todo monge faz votos de pobreza, castidade, obediência e um quarto voto de permanência, sendo esse revogado apenas por ordem do Abade. Nós vivemos em mosteiros, sem contato com a comunidade, vivemos e trabalhamos aqui. Mas não estou aqui para contar a história do início da vida monástica de João, vou contar sobre as misteriosas cartas que foram encontradas 5 anos mais tarde em seu aposento.

S.

Escrevo de um mosteiro onde trabalho e vivo, com gosto, mas a cada noite enquanto me deito no meu leito escuro são lembranças suas que me vêm a cabeça, memórias perdidas no tempo que eu tento esquecer. Sinto o toque quente de suas mãos deslizando pelo meu corpo e me trazendo arrepios. Minha boca pede seu gosto doce e proibido. Meus braços pedem seu corpo macio... mas eu não posso me deleitar em minhas lembranças, elas pecam contra tudo o que tenho vivido aqui, elas renegam os votos que assumi, elas cospem na minha cara as verdades que eu escondi. Tenho que te esquecer, tenho que te matar dentro de mim, mas para fazer isso tenho que matar meu coração insano que suplica por seu amor. Te quero, mas não posso te ter.

N.

Essa foi a primeira carta que encontramos e ela ía contra nossa ordem e nossa única opção foi denunciar nosso irmão João ao Abade. Nesse momento ele se encontra no aposento de nosso superior, para prestar contas.

EM BREVE - PARTE 2

28 sorrisos compartilhados:

{ Jaqueline Jesus } at: 27 de julho de 2010 17:41 disse...

huuum... adoreeei o suspense da história :D
to louca pra saber quais os mistérios que envolvem esse João. To vendo que esse conto é dos bons :D
apesar de que todos os seus contos são né *--*
beeeijos;*

{ Vanessa Monique } at: 27 de julho de 2010 18:43 disse...

Quero saber de qm é essa carta.
Com ctz um amor q jamais foi esquecido.
Tô esperando a continuação.
:*

{ Tati } at: 27 de julho de 2010 19:15 disse...

Teu conto me deixou aqui na maior agonia... Espero que o próximo capítulo não demora...

Beijos Coruja..

{ Camila Mancio. } at: 27 de julho de 2010 19:31 disse...

cara, você escreve muito bem, gostei.

um beijo.

{ Jéssica Trabuco } at: 27 de julho de 2010 20:07 disse...

Nossa, que tenso!
Fiquei curiosa...
Quando postar a outra parte me avisa *-*

{ Cristiano Guerra } at: 27 de julho de 2010 20:08 disse...

Estou começando a te ler agora, mas visível que você é um contista. Bons contistas fazem a gente morrer, literalmente, de curiosidade; e estou me consumindo pra saber o que vai rolar com o João. A narrativa é seu ponto alto, e agora que já estou curioso, não vou mais deixar de vir aqui. Abraço

{ Gabriela Furtado } at: 27 de julho de 2010 20:46 disse...

Adoooro teus contos! São o máximo...
supeeer ansiosa para ler a continuação!
beijos

{ Milla } at: 27 de julho de 2010 21:33 disse...

Sempre achei que para se tornar um monge a pessoa deve ter muita certeza daquilo que deseja..Bom, o conto está provando isso. Continue!

{ *Amanda* } at: 27 de julho de 2010 22:37 disse...

aoooooooooooooooooooooo.. rsrsrsrsrsrsr
já sei quem vai amarrrr esses textos!!!! rsrsrsrsrsrs

vou ler todoooossssssss!!!!!!!!!!

;)

{ Thiara Ribeiro } at: 27 de julho de 2010 23:49 disse...

Conta maisss???

;*

{ Charlie B. } at: 28 de julho de 2010 11:05 disse...

" Minha boca pede seu gosto doce e proibido. Meus braços pedem seu corpo macio... mas eu não posso me deleitar em minhas lembranças"

Todos temos necessidades, precisamos do calor de outro humano, é difícil renunciar, não sei se eu conseguiria!

Grey's Anatomy >.<, muito lindo os episódios, terminei a 6ª temporada esse fim de semana.

Charlie B.

{ Flávia } at: 28 de julho de 2010 11:46 disse...

Hmmmmmm...
Adoreei esse!! ;) kkkkk!
Gostei da sua 'nova escrita'... LALA!

E tô suuper curiooosa pra segunda parteee!
Pelo amor de Deus, não deixa a gente na agoniiaa.... Posta logoo =P Rs
beeijos... adoreeei bb

{ Mali Melo } at: 28 de julho de 2010 13:01 disse...

E esse gosto de quero mais hein, como fica?
Muito bom, adorei! *-*
bj bj

{ Carolyne Mota } at: 28 de julho de 2010 13:13 disse...

Adoro histórias envoltas em mistério.
Muito bom, amei!
Beijoo (:

{ Rebeca Amaral } at: 28 de julho de 2010 17:21 disse...

vamos, vamos, conte mais!
bjs

{ Ariela } at: 28 de julho de 2010 17:22 disse...

Uma história que contém amor, um mosteiro como plano de fundo e um bom escritor.
Não é preciso dizer mais nada.

{ mari ebert } at: 28 de julho de 2010 17:30 disse...

Cara, você escreve SUPER bem! Esse conto me lembrou o filme "O Nome da Rosa", nem sei porque hahaha. Ah, eu já postei a última parte do meu conto. Ansiosa pela continuação do seu, bjão!

{ .LαíssαCorrêα * } at: 28 de julho de 2010 20:23 disse...

Oi, adorei o seu blog.
Já estou seguindo, dá uma passadinha no meu .
http://ocomecodofimporlaissa.blogspot.com/
Beijo.

{ Sara Carneiro } at: 28 de julho de 2010 21:12 disse...

Rô, tu não faz ideia do quanto sou curiosa! Já imaginei mil possibilidades aqui. :D Essa primeira parte do conto ficou incrível. Quero logo ter mais notícias do João. Parabéns. Beijos.

{ ..::*::.. Palavra de Guria ..::*::.. } at: 28 de julho de 2010 21:23 disse...

Fiquei curiosaaaa
uhauhauhaa

quero saber o resto
beiijos

{ Mandy } at: 28 de julho de 2010 23:43 disse...

Olá Rodi, tava viajando e bom amanhã viajo de novo. Então só passei pra deixar um beijo e falar que sinto falta de ler seus textos.. Quando voltar prometo que cada um que eu perdi terá o seu comentário :)
Beijoos
Mandy

{ Kacarecus } at: 29 de julho de 2010 11:49 disse...

Nossa, eu to a espera do proximo texto hain!
adorei ja o 1 quando mais o segundo!

seguindo-te

arrr, passa la no noss blog e confere dicas de moda p/ homem tmb...*-*
e segue agente!
http://kacarecus.blogspot.com/
beijinhos, liih

{ } at: 29 de julho de 2010 11:51 disse...

Me deixou com uma mega gostinho de 'quero mais'

{ daniella } at: 29 de julho de 2010 19:48 disse...

gostei demais haha *-* quero ler o reeesto

{ Victor } at: 30 de julho de 2010 15:03 disse...

Gostei muito Rodolpho,
continuarei sempre por aqui e agora com mais Frequência.

;)

{ Doce Nostalgia } at: 31 de julho de 2010 22:02 disse...

Hummmm, adoroooooo suspense! rs

{ Mandy } at: 3 de agosto de 2010 20:37 disse...

Noooossa que suspense gostosoo.. hdiuaohduiashui. Vou continuar lendo. Mas to adoorando viu. :)
Desculpa pela demora Rodi. ♥

{ Leticía Gomes } at: 26 de agosto de 2010 17:19 disse...

Rodolpho, amei a primeira parte *-*
eu adoro esse sentimento que o João pareceu descrever. é tão humano..
gosto de ler coisas mais sentimentais mesmo. parece que o negócio vai ficar boom!
hahahaha

beijos, vou ler o resto.

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso