Keblinger

Keblinger

Chuva de amor

| terça-feira, 15 de junho de 2010
♪ (...) Let the rain fall I don't care
I'm yours and suddenly you're mine
Suddenly you're mine
And it's brighter than sunshine... ♫
Brighter Than Sunshine - Aqualung

Eu corria pela rua molhada, cortando os pingos leves da chuva de verão que caía, o sol brilhava e observava as gotas caindo, refletindo sua luz, como gotas de cristal se espalhando pelo chão. O céu crepuscular anunciava uma noite de clima ameno e arejado. E eu apenas corria, segurando em uma mão aquela única flor, a preferida dela e na outra eu tentava, inutilmente, manter o cartão longe dos pingos. Cheguei ao meu destino, ensopado e ofegante, toquei a campainha e a porta se abriu. Era ela.
Estava linda como sempre, vestindo no rosto aquele sorriso contagiante que eu tanto amo e meu sorriso foi apenas um reflexo opaco do dela, uma mera projeção da perfeição que eu contemplava. Ela havia me ligado antes e dito que se estava tudo bem se não nos víssemos hoje, mas eu queria vê-la, queria beijá-la e abraçá-la como se fosse a primeira e a última vez. Eu queria sentir o calor da pele dela e a maciez de seu cabelo. Eu queria mergulhar naquele sorriso. Entreguei-lhe a rosa vermelha, lavada pela chuva, com algumas gotas presas nas pétalas aveludadas. Ela sorriu pelo presente e me deu um beijo. Entreguei o cartão molhado para ela, as letras escorriam e tentavam fugir do papel, mas ainda estavam legíveis.

"O nosso amor é como o vento, não posso ver, mas posso sentir,

é como o sol, intocável, mas emanando calor,
é claro como o alvorecer de um novo dia
e puro como flores na primavera."

Seu sorriso se abriu ainda mais ao ler o cartão, ela agarrou a minha mão e ao contrário do que pensei, me puxou para a chuva.
- Dança comigo - ela pediu.
E nós dois nos entregamos às gotas transparentes, rodopiando pelo vento, aquecidos pelos resquícios de raios de sol. E a chuva fina e morna nos lavou. Nos abraçamos molhados e nos beijamos como nunca. Me encontrei e me perdi dentro de seu olhar. Me alimentei de suas carícias e saciei minha sede com seu amor. Perdi os medos, as inseguranças e as incertezas.
Eu sou dela e de repente, ela é minha.
Um arco-íris colore o céu ao longe, o contemplamos enquanto a cortina de chuva se desfaz.
Um "eu te amo" seria pouco para dizer o que eu sinto, talvez ainda não inventaram palavras para tal sentimento. Ela me olha nos olhos, como se quisesse me dizer algo.
- Se cada grão de areia fosse fragmentos do que sinto por você, nem a praia toda teria grãos o suficiente para totalizar esse sentimento. - era isso, ela colocou em palavras aquilo que parecia impossível e eu me agasalhei em seu abraço mais uma vez e me aqueci em seus lábios.
Nosso amor é assim: simples, puro e eterno e não há mais o que dizer.

Pauta para Bloínquês


Obs: Quem quiser conferir a música do início do conto, é a que está na caixinha do "som do momento"

__________________________________________________

Playlist atualizada ~> fiz duas pois esqueci de atualizar semana passada

12 sorrisos compartilhados:

{ Metamorfoses } at: 15 de junho de 2010 08:42 disse...

simples,puro e eterno...Não necessita mesmo de mais nada.
Belo moço!!
Ah parabéns pelo centésimo post!rsrs
bjs!!

{ Tati } at: 15 de junho de 2010 09:01 disse...

Poeta Poeta... Cada vez que te leio me encanto mais...

Está bem escrito, precisa dar uma revisadinha, mas está muito bem escrito.
Gostei do cenário e dos sentimentos.

Grande Beijo

Ps.: Faltam dois dias

rs

{ Talita Prates } at: 15 de junho de 2010 11:19 disse...

Vim retribuir e agradecer a visita e comentário!

Seu blog é lindo, parabéns!

Um bjo,

Talita
História da minha alma

{ Vanessa Monique } at: 15 de junho de 2010 14:54 disse...

Que lindo.
Queria um amor assim tb,q me dizesse em poucas palavras,mas com tanto significativo td o q represento.
Lindo mesmo.
Obrigada sempre pela tua presença no meu blog,amo qnd recebo seus comentários
:*

{ Gabriela F. } at: 15 de junho de 2010 15:22 disse...

Adoooro chuva; e de amor é ainda melhor...
MUITO lindo :)
beeeijos

{ Ariane s.s } at: 15 de junho de 2010 17:52 disse...

Vai ganhar todos os concursos em que entrar !
Beijos ;)

{ Rebeca Amaral } at: 15 de junho de 2010 20:31 disse...

"meu sorriso foi apenas um reflexo opaco do dela, uma mera projeção da perfeição que eu contemplava."
nossa, morri com essa parte!

texto apaixonado e apaixonante!

beijos, beijos!

{ Sara Roosevelt } at: 15 de junho de 2010 21:49 disse...

palavras lindas ! *-*

escreve muito bem, Rodolpho ! .

{ Gessy } at: 15 de junho de 2010 22:38 disse...

Lindo texto, e as palavras são tão simples e verdadeiras... Emocionante *-*

{ Mandy } at: 15 de junho de 2010 22:39 disse...

Own Rod *---* Que lindoo. Tava até querendo escrever pra la, mas depois disso, vo pensar duas vezes :P
O amor, a chuva e uma declaração dessa *--* Perfeito. Adooorei mesmo.
Beijão
Mandy

{ adolescent subjects' } at: 16 de junho de 2010 14:25 disse...

sem o que dizer, *-*
demaiis, õ/

abraços.

{ Estefani } at: 17 de junho de 2010 14:04 disse...

Lindo, lindo , lindo...!!!

A tempos queria escrever sobre amor, chuva... seu texto ficou esplêndido. ^^

Beijo fofo! =)

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso