Keblinger

Keblinger

Coração ferido

| sexta-feira, 4 de junho de 2010
♫ (...)I tell myself that I'll be fine
Just give it time... ♪
A little time - Jonathan Clay

Abri os olhos e encarei o teto pálido que me encarava de volta, fiz mentalmente as minhas perguntas, passei a mão no rosto e me levantei. E aquela seria minha rotina diária a partir de agora, não... desde aquele dia minha rotina tinha sido essa. Há quanto tempo foi isso mesmo? Perco a contagem dos dias sem ela por perto, minha cabeça parece parar de funcionar corretamente quando ela não está aqui, mas eu tenho que fazê-la funcionar. Ela fez as malas aquele dia, foi-se para não mais voltar. O seu lado do guarda-roupa exibe um espaço enorme que tão logo não será preenchido. E eu ainda a vejo, parada, segurando a maçaneta da porta, me olhando friamente, sem um pingo de remorso ou uma lágrima nos olhos.
- Você foi um passatempo bom, mas acabou - ela me disse secamente e fechou a porta. Um passatempo bom? Então era isso que os últimos três meses havia significado para ela? Apenas um passatempo. Enquanto eu me entreguei por completo, cedi aos encantos dela, dei a ela meu coração, para que ela o esmagasse sem piedade e o atirasse ao chão sujo.
O apanhei assim que ela partiu. Ferido, sangrando, mas ainda pulsando fracamente. O tomei de volta para mim e prometi curá-lo e nunca mais deixar que alguém o ferisse daquela maneira. Assim como ela fechou a porta e não voltou, fechei a porta para o sentimento, tranquei por dentro e joguei a chave fora. Ninguém mais vai te machucar, prometi ao meu frágil coração.
E foi desde esse dia que minha rotina se resumiu a perguntas sem respostas, eu tentava encontrar um motivo para aquilo. Onde eu havia errado? O que eu deveria ter feito? Mas então, num belo dia, me olho no espelho e ele me questiona: "Você acha mesmo que o problema está em você?" Aquela indagação me resgatou do abismo que eu me atirara, me agarrou pela gola da camisa e me trouxe ao chão firme outra vez. Claro que não, eu não fiz nada de errado, respondi ao meu reflexo. E ao ouvir minha própria voz, senti um pulsar dentro do peito. Ah, ele estava de volta, ele havia se curado.
É difícil de aceitar, recomeçar do zero, isso leva tempo. Aprendi da pior maneira possível, mas percebi que o erro não estava em mim. Eu não havia perdido, afinal. Ela sim, ela havia perdido a chance de ter uma história, algo muito além de um "simples passatempo."
Não olho mais para aquela porta esperando que ela se abra e ela volte. O teto agora me encara com um sorriso de bom dia a cada manhã e minha cabeça funciona como nunca funcionou.
Estou indo comprar roupas novas, preciso preencher um lado do meu guarda-roupa.

Pauta para Bloínquês - Tema: "é difícil de aceitar, recomeçar do zero"

___________________________________________________

Dia 20 - A sua música favorita neste momento no ano passado
(Último dia do desafio)
5:19 - Matt Wertz

Clique na música para ver o vídeo

________________________________________________________
Tô concorrendo pra Blog destaque de Maio do Bloínquês, para votar clique aqui

21 sorrisos compartilhados:

{ Patricia s2 } at: 4 de junho de 2010 01:04 disse...

o tempo as vezes é frio, nos deixa sofrer e a cada segundo nos faz acostumar com a ausência e aquele vazio vai se enchendo de esperança, para que numa esquina qualquer esteja o começo da rua " felicidade "...
belo texto...
bejuxus

{ Tati } at: 4 de junho de 2010 01:16 disse...

Oi Garoto. Gostei do texto. Dos desenhos que você fez nos olhos da gente.
Bem escrito, intenso, simples e bastante verdadeiro. Tanta gente com um lado vazio.

Grande beijo.

{ Flávia } at: 4 de junho de 2010 09:23 disse...

Simplesmente Amei!
Era disso que eu precisava nessa manhã...
Chegar aqui e me deparar com mais um de seus textos!
E que lindo esse! Ao mesmo tempo que demonstra o amor sincero que alguém é capaz de sentir por outra pessoa... Mostra tbm as dores da consequência de se amar uma pessoa!
Muuito bom!

beeijos bb =)

{ Flávia } at: 4 de junho de 2010 09:24 disse...

obs: e principalmentee quando essa 'pessoa' não sente o mesmo por vc e ao invés de te retribuir em AMOR, retribui com apunhaladas nas costas! =/
So sad...

Acabeei o comentário! Rsrs!
Byee! =*

{ Gabriela F. } at: 4 de junho de 2010 12:11 disse...

"O apanhei assim que ela partiu. Ferido, sangrando, mas ainda pulsando fracamente. O tomei de volta para mim e prometi curá-lo e nunca mais deixar que alguém o ferisse daquela maneira. Assim como ela fechou a porta e não voltou, fechei a porta para o sentimento, tranquei por dentro e joguei a chave fora. Ninguém mais vai te machucar, prometi ao meu frágil coração."
TANTAS vezes fiz a mesma coisa! E por mais que demore, o probrezinho uma dia se cura!
Ameeeeeeeei
beijos
ah, amanhã repasso os selos que me deste, andei meio sem tempo

{ Emi } at: 4 de junho de 2010 13:00 disse...

Adorei o texto inteiro, mas principalmente o final.
''Não olho mais para aquela porta, esperando que ela se abra e ela volte. O teto agora me encara com um sorriso de bom dia a cada manhã e minha cabeça funciona como nunca funcionou.
Estou indo comprar roupas novas, preciso preencher um lado do meu guarda-roupa.''
Adoro sua escrita, Rodolpho!
E obrigada por sempre comentar lá, fico muito feliz mesmo!
Beijooos!

{ Carolyne Mota } at: 4 de junho de 2010 13:29 disse...

Já passei por essa fase de, "o que fiz de errado?" Já sofri muito por amor e depois percebi que não vale a pena, o melhor é esquecer, deixar seu coração livre pra pulsar, sem medo de sofrer. Afinal, amores vem e vão, faz parte da história de cada um.
Adoro as coisas que você escreve!
Beijoo

{ Evelyn Ceinwyn . } at: 4 de junho de 2010 14:49 disse...

''Perco a contagem dos dias sem ela por perto, minha cabeça parece parar de funcionar corretamente quando ela não está aqui, mas eu tenho que fazê-la funcionar. Ela fez as malas aquele dia, foi-se para não mais voltar...''

Me sinto exatamente como te descreves no texto por longos quase 3 anos, desde que isso me aconteceu.
A unica diferença para mim é que ele sempre volta, uma vez por ano, por 10 dias e são mais 9 meses ate vê-lo novamente.
Como tu mesmo disse, é dificil recomçar, mais duramente todas as manhãs preciso fazê-lo.
Da espera e do amor, na minha opinião é dessas lutas que se fazem a vida. e as vitorias são o tempero essencial.

Adorei o texto, como sempre.
Uma linda tarde pra você.

Beijos !

{ Pires Silva } at: 4 de junho de 2010 15:07 disse...

Que texto mais lindo *--* cada vez, se superando mais. Adorei, me emocionei muito, e adorei as conclusões finais, afinal, recomeçar é a parte mais difícil, mas não impossível :D
aah adoro essa música tb 5:19 - Matt Wertz
*--* temos gostos um pouco parecidos viu? haha beijos

{ Miih Bueno } at: 4 de junho de 2010 16:56 disse...

Que lindo este texto.
É emocionante, encorajador e real.
Creio todo mundo já passou por esse momento de recomeço, e acho também que cada dia é um novo começo.

Boa sorte a todos qe estam recomeçando, sorrindo, claro.. :D
Seu blog está maravilhoso, parabéns ^^

{ Stella Rodrigues } at: 4 de junho de 2010 18:45 disse...

As vezes a gente tenta fazer de tudo pra uma coisa dar certo, mas não é só uma pessoa que tem que fazer durar, isso depende das duas, e nem sempre a outra quer ):

{ In Verbis } at: 4 de junho de 2010 19:27 disse...

Olá, passando para te convidar para conhecer o Projeto In Verbis.

http://oprojetoinverbis.blogspot.com/

Abraços.

{ Kêmulla Grohmann } at: 4 de junho de 2010 20:11 disse...

oiie...
putz, sem palavras...
O texto é lindo!
Bom final de semana...
beijooos

{ Rebeca Amaral } at: 4 de junho de 2010 20:24 disse...

cara, não sei como ainda me surpreendo contigo...

de fato, é difícil recomeçar, ainda mais depois de uma decepção tão forte quanto essa.


beijos!

{ Thaís. } at: 4 de junho de 2010 20:35 disse...

Nossa, adorei esse texto! Tão belo e com uma mensagem verdadeira ao final do mesmo. Acredito que muitas vezes tranquei meu coração e joguei a chave fora também, mas a partir do momento que consegui entender que o erro não era meu, tudo ficou melhor. É assim, algumas pessoas realmente não cuidam do nosso coração. Mas elas precisam passar em nossas vidas, para nós deixar lições como essa que a garota te deixou. E queria agradecê-lo quanto aos selos que tu me deu. Não postei-os no blog pois estou um pouco sem tempo, postando textos que já estão salvos no computador. Mas mesmo assim, obrigada. Beijos, @pequenatiss.

{ Vanessa Monique } at: 4 de junho de 2010 21:28 disse...

Recomeçar é sempre doloroso.
A gente deixa pra trás mts histórias vividas,não totalmente pq elas já fazem parte d agente,fica de herança.
Existem pessoas q não dão valor as pessoas q tem ao lado.

Bom sábado

//fluem.blogspot.com

:*

{ Jaci Macedo } at: 4 de junho de 2010 22:59 disse...

recomeçar às vezes é tudo.lindo texto; beijos (:

{ Letícia ♥' } at: 5 de junho de 2010 00:11 disse...

oiie!
tem selinho pra vc no meu blog..
passa lá depois..

;)
beeijO

{ maiara diniz. } at: 5 de junho de 2010 00:14 disse...

Adorei esse texto! *---*
Já falei que adoro o que você escreve né? hehe.
Muito bom mesmo. É assim que as coisas acontecem, afinal. Chega um dia em que percebemos que somos bons o bastente para sobreviver as decepções e tristezas. O amor próprio deve estar acima de todos os outros :DD Beijos

{ Amanda Lisbôa } at: 5 de junho de 2010 00:18 disse...

*E foi desde esse dia que minha rotina se resumiu a perguntas sem respostas, eu tentava encontrar um motivo para aquilo. Onde eu havia errado? O que eu deveria ter feito? Mas então, num belo dia, me olho no espelho e ele me questiona: "Você acha mesmo que o problema está em você?"*

e isso basta! rsrsrsrs....
nem preciso dizer que esse texto foi pra mim... pq eu to achando que foiiii!!! kkkkkkkkk...
e tb nem preciso de falar que está na minha lista dos melhores.. pq vc sabe que está!!!!

;)

{ Doce Nostalgia } at: 6 de junho de 2010 10:24 disse...

"Então era isso que os últimos três meses havia significado para ela? Apenas um passatempo. Enquanto eu me entreguei por completo, cedi aos encantos dela, dei a ela meu coração, para que ela o esmagasse sem piedade e o atirasse ao chão sujo."
Ui que triste........Rs

Mais lindo! Fato!

nossa tema bom esse...

Bjúss

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso