Keblinger

Keblinger

O beco – Parte 2

| sexta-feira, 16 de abril de 2010
No anoitecer de ontem eu percebi que algo estranho acontecia naquele beco escuro que eu já tinha adotado como morada, um homem estranho e usando vestes pretas longas, arrastava uma mulher até lá. Ela tentava gritar, eu percebi, mas seus gritos eram abafados. Enquanto eu o seguia escondido em minha mísera existência, meu olhar se cruzou com o da moça. Nunca vou esquecer aqueles olhos grandes que suplicavam socorro. Ele continuava a empurrá-la para o breu.
Eu era um garoto sem instrução, não sabia como agir em uma situação daquelas, eu era fraco, pequeno. Meu instinto me dizia para fugir, mas algo maior me prendeu ali. Olhei tudo ao redor e encontrei um pedaço de madeira, o agarrei em silêncio e caminhei sorrateiramente até o homem de preto.
Minha primeira pancada só o assustou. Ele soltou a moça que chorava com desespero e se voltou para mim. Vi seus olhos negros como a noite me encararem com tamanha raiva que eu me senti encolhido.
Tentei acertá-lo de novo, enquanto via com o canto dos olhos que a moça fugia, mas não consegui. Vi que ele abriu a boca para dizer algo, mas um estalo alto ecoou no local.
Senti um líquido quente escorrer em minha barriga e minhas mãos se mancharam de vermelho quando toquei o ferimento.
Ele me olhou mais uma vez e correu na direção da moça indefesa.
Eu era mais uma vítima de um crime. Cai debruçado na poça de meu próprio sangue e senti o frio tomar conta de mim.

CONTINUA

6 sorrisos compartilhados:

{ Flávia } at: 16 de abril de 2010 00:48 disse...

Puutz, que deprê!
Não vai me dizer que o garotinho morreu? =/
haha!

Ameei bb!!!

Não vejo a hora de chegar amanhã pra vc postar o restoo! ;)

Beeijão!

{ Tati } at: 16 de abril de 2010 11:41 disse...

Ai, você é muito chato, me deixa aqui, nessa ânsia louca de ler o resto...

Muito bom.

Grande Beijo

{ Felipe } at: 16 de abril de 2010 17:09 disse...

Puts! Deve ser horrível a sensação de estar morrendo.
Mas pera aí quem foi que matoux o menino? E esse cara? e a menina?
Tô esperando o próximo post :DDD

Abraços, cara.

{ Amanda Vieira, } at: 16 de abril de 2010 17:29 disse...

Cara que texto demais, você tem um talento e tanto :)
adorei a forma que você descreveu as situações, o medo da moça e tudo mais... parabéns .

{ Thaís. } at: 16 de abril de 2010 21:47 disse...

Nossa! Bem impactante esse teu texto, Rodolfo. Deu até um frio na barriga ao final das duas partes, aguardo anciosa a continuação.
E quanto a mim, pois bem. Estou de volta até meu colégio dar uma trégua das provas. E sim obrigada, sai-me bem nelas! Bem, até mais.

{ Milla } at: 17 de abril de 2010 19:29 disse...

Uaal, muito bom! Estou beem curiosa, continua logo? *-*

beijos

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso