Keblinger

Keblinger

Teu silêncio

| quarta-feira, 31 de março de 2010

Enquanto você encarava o chão frio e molhado com as gotas de suas lágrimas que ainda escorriam, eu me dei conta de que eu era o problema, eu sempre havia sido o problema. Tentei alcançar sua mão apertada contra o peito, mas você a afastou. Seu rosto vermelho e riscado de lágrimas que escorriam era uma tortura para mim, seus olhos vermelhos e inocentes se voltaram para onde eu estava e era como se me atravessassem e olhassem além de mim. Você já não me via mais, não da maneira que sempre viu, não da maneira que sempre achou que veria.
Eu fui um covarde, um sádico e desprezível, sei que mereço seu rancor, seu ódio... mas ainda sim, eu quero e preciso do seu perdão.
Seu choro é incessante ao mesmo tempo que meus olhos secos imploram por lágrimas de dor que nunca vêm. Não consigo chorar, embora eu saiba que eu deveria, mas sou covarde, até isso eu me recuso a fazer.
Meu erro me corrói, minha culpa estampada em seu rosto triste me sufoca, minha raiva por mim mesmo aumenta.Eu causei isso, eu SOU o problema e isso me machuca. Me machuca ver que eu te causei esse sofrimento. O peso da angústia cai sobre mim...
Eu nunca disse que eu era um santo, nunca encenei papéis que não fossem eu mesmo, nunca menti. Mas o que eu fiz foi pior. Eu te matei por dentro. Você me deu seu coração, sua confiança, seu amor... e em troca eu te apunhalei, te enganei e pisei naquele sentimento que você me oferecia com tanta devoção. Eu fiz você sangrar.
Eu usei de máscaras para te persuadir, fingi emoções e risos ao seu lado, fui dissimulado, agora seu olhar vazio me condena, me pune, me sentencia à indiferença.
Você se levanta, enxuga os olhos, lança um último olhar em silêncio e vai embora. Já sei que não nos veremos novamente, sei que sua última lembrança minha será essa, eu sentado nesse banco, tentando expressar minha dor em lágrimas e fracassando completamente e me desviando de seu olhar impiedoso.Você partiu e eu chorei, me debrucei e chorei. As lágrimas não eram de culpa nem de raiva... eram lágrimas por saber que eu, justo eu, havia ferido você. E essas lágrimas eram somadas as lágrimas da consciência que eu tinha de que nunca seria perdoado.
Eu precisava desse perdão, eu precisava voltar a respirar aliviado, mas você tirou isso de mim e eu sei que mereci.
Agora eu aindo choro, ainda sinto a culpa e ainda vejo sua partida em minha mente.
Preso no silêncio desse momento eu também me levanto, enxugo meus olhos úmidos e parto na direção contrária à sua. Parto sem destino, buscando compaixão.

Pauta para Bloínquês - Tema: "Nada em toda a minha vida me magoou tanto quanto saber que havia ferido você."

Desabafos de um homem calado

| segunda-feira, 29 de março de 2010
Já nem sei o que faz sentido nessa vida, nem sei que caminho seguir, que sentimentos sentir... já não sei viver por completo. Acho que esses "não saber" se devem ao fato de eu sempre pensar muito sobre um assunto, ficar debatendo mentalmente os prós e contras ao invés de ir em frente e arriscar. Mas e o medo? É, tenho medo. Do quê? Do que pode acontecer, tenho medo das decisões, tenho medo do desconhecido, embora ele me desperte uma sensação de desafio que eu gosto. Tenho medo de falhar, de me machucar e causar sofrimentos. Sou como um animal arisco, recluso em seu interior, enjaulado em seu próprio refúgio, aquele lugar que parece seguro e intocável. E nesse confinamento eu vou vivendo, sem deixar transparecer minhas emoções e vontades, sem permitir demonstrações de afeto e carinho da minha parte, me exibindo sempre como "o indiferente", mas que por dentro sofre, chora e se preocupa, em silêncio. Sempre em silêncio em meu canto particular, vagando no meu mundinho no qual só eu faço parte e se alguém se atreve a interferir ou querer visitar, o bicho enjaulado ruge e recua. Se esconde, se infiltra na escuridão de si mesmo, incompreendido, ferido... calado. Já tentei dar passos para a luz do mundo, tentei abandonar aquele lugar sombrio e frio onde sempre vivi e que tanto me acostumei, mas a luz feriu meus olhos, o mundo me viu e eu fugi, mais uma vez. Fugi. Sumi. Me acolhi novamente naquele lugar fechado, contando só comigo mesmo. Tentando entender o que se passava, porque eu agia daquela maneira. Tentando entender quem eu era e que papel tenho no mundo e na vida das pessoas. Tentei, tentei e fracassei, pois ainda não compreendo a insignificância da minha existência. A minha jaula me prende de portas abertas, se uma mão se aproxima eu não mordo, mas tenho receio. Eu recuo. Cada passo pra trás me aproxima do abismo do meu interior. Se eu cair não sei se poderei me levantar, não sei se os braços que se voltarem para eu agarrar eu os darei a mão ou simplesmente me deixarei levar. Eu não sei e isso é o que eu sempre soube. Vejo em meu reflexo a figura de alguém que só tem uma casca, mas que é oca. Vejo o brilho nos olhos de alguém que quer ser descoberto, que quer ser salvo e tirado da jaula. Vejo um homem sozinho. Triste e carente. Vejo alguém que tenta aprender como se faz para expor seu eu verdadeiro, aquele eu que nem ele mesmo conhece, mas que quer conhecer. Esse homem tem dúvidas, anseios, desejos. Ele fala aos quatro cantos sobre as coisas da vida, sobre o mundo, ri e conta piadas, fala direto quando precisa, briga, grita e expressa raiva. Mas esse homem não fala de si, não abre o coração (que até mesmo dúvida ser o possuidor de um)... ele se tranca. E tranca consigo todos os sentimentos puros e bons que se pode sentir. Ele vira uma ostra. Tem algo bom por dentro, mas algo dificíl de ver e pegar. As lágrimas desse homem são invisíveis, são pesadas. E eu, sendo esse homem confuso e abatido, que ainda não viveu o suficiente para ter tantas lamentações, espero ainda me transformar em outro homem. Espero ter forças pra me livrar das sombras que me prendem na jaula. Espero ter paciência para esperar pelas coisas. Espero saber que aquele pulsar tímido dentro do peito é sim um coração, que bate doído, apertado, mas que existe. Espero ver a luz e espero saber encarar os olhos do mundo que tanto anseiam por ME ver... esse novo e seguro homem. Sem tantos temores e com mais certezas. Esse homem novo ainda dorme, vamos deixá-lo descansar até que esteja pronto. Esse novo homem um dia vai abrir os olhos e quando o fizer, vamos poder ver as cores de seu interior.

Apenas um poema

|
Quero escrever um poema sobre o amor,
mas o amor não se explica em palavras.

Quero escrever um poema sobre a humanidade,
mas a humanidade não merece um poema.

Quero escrever um poema sobre mim,
mas eu não sei me descrever.

Quero escrever um poema sobre você,
mas eu não saberia o que dizer.

Quero escrever um poema sobre nós,
mas talvez o nós não exista até o fim desse poema.

Quero escrever um poema sobre o passado,
mas o passado não volta mais.

Quero escrever um poema sobre o presente,
mas do presente não se escreve, se vive.

Quero escrever um poema sobre o futuro,
mas o futuro ainda não foi desvendado.

Quero escrever um poema sobre a vida,
mas a vida não se resume a descrições.

Quero escrever um poema sobre Deus,
mas Deus não cabe em um poema.

Curta a viagem

|
"Na vida o que importa é a viagem, não o destino"

... até porque a vida é uma viagem e não um destino. Se nos preocuparmos demais com o lugar pra onde vamos chegar, não aproveitamos a viagem, não olhamos pela janela nem nos perdemos nas paisagens que passam ao redor. O bom é curtir o passeio, relaxar. Deixar o problemas para trás, lá no ponto de partida. O essencial numa viagem é a disposição, que te levará mais adiante quando o cansaço bater e que esfriará sua cabeça quando os eventuais problemas surgirem (e eles sempre surgem).
Nessa viagem desfrutar de companhias agradáveis é o segredo para seguir em frente sempre com ânimo e vontade. Essa companhia, às vezes, pode ser chata, ter seus momentos de estresse, mas vale a pena relevar pelo prazer de não estar só e saiba que essa companhia também vai aturar suas crises e suas chatices.
Uma boa viagem tem uma trillha sonora, aquela que você mesmo monta, com suas músicas preferidas que nem sempre se encaixam nas situações, mas mesmo assim fazem toda a direferença. Uma boa viagem precisa de suprimentos, que podem ser levados na partida ou adquiridos pelo caminho. Uma viagem tem contratempos, imprevistos e desvios no caminho, isso faz parte, acredite e aceite.
Uma viagem é assim, a vida é assim. Nem sempre tem um destino certo, mas com as companhias certas, com os suprimentos certos e com a vitória dos obstáculos encontrados no caminho, o destino já nem importa tanto, o que importa foi o que se viveu, foi a emoção e a expêriencia. Foi a sensação de liberdade. Foi a saudade de casa. Foi as histórias que serão contadas. Ninguém retorna da mesma maneira que partiu. Alguma coisa vem, alguma coisa fica.
A gente vive uma viagem. A gente cria nossa trilha, decidi as rodovias a ser seguidas, opta por atalhos que muitas vezes se mostram ser a escolha errada. Acompanhamos outros viajantes e somos acompanhados. Divimos o peso das bagagens quando ela se torna pesada demais. Compartilhamos histórias de outras viagens, aprendemos coisas novas. Conhecemos pessoas novas.
Não há viagens curtas ou longas, há viagens que são bem aproveitadas e aquelas que não são. O tempo é irrelevante, nesse caso. As estradas já rodadas ficaram para trás, algumas freadas bruscas deixam marcas no aslfato, mas isso pode ser consertado. Viva a estrada pela qual você viaja agora, não fique muito ansioso pela estrada adiante, a gente nunca sabe o que espera, ela pode estar bloqueada e então deveremos fazer o retorno, ela pode estar esburacada e então é da nossa escolha se arriscamos seguir em frente ou tomar um caminho menos aspero, ela pode se estender por vários quilômetros ou pode dar em um beco, ela pode ter uma ladeira íngreme que vai ser preciso força pra superar. É, estradas são coisas imprevisíveis, não são? Mas mesmo assim, curta o passeio e a companhia, observe as paisagens que passam e aguarde para ver onde essa estrada vai te levar.
Toda viagem tem um fim, mas deixe isso só pra quando ele chegar.

Atire uma pedrinha

| sábado, 27 de março de 2010
"They say the beat of a butterflie's wings
Can set off a storm in the world away
What if they're right and the smallest of things
Could power the strongest hurricane"

Essa é a ideia da Teoria do Caos, aquela em que um pequeno ato pode desencadear consequências devastadoras. Podemos analisar isso de várias formas e em vários contextos. Podemos dizer, por exemplo, que uma escolha que tomamos, por menor que seja pode trazer grandes impactos em nossa vida, impactos bons ou ruins.

"Just a pebble in the water
Can set the sea in motion
A simple act of kindness
Can stir the widest ocean"

Apenas uma pedrinha na água realmente começa um processo imprevisível, ela cria uma onda que se propaga e pode crescer se acaso se juntar a outras ondas. Uma pessoa faz a diferença. Um ato pode mudar tudo. Uma palavra pode alterar o rumo de alguma coisa.

"If we show a little love
Heaven knows
What we could change
So throw a pebble in the water
And Make a Wave"

Somos todos como pedrinhas, cada um carrega dentro de si um poder capaz de transformar. Podemos mudar o mundo, mas como diz o ditado "uma andorinha só não faz verão", por isso precisamos unir todas as "pedrinhas". Podemos e devemos criar uma onda que seja capaz de atingir a todos.

"Don't pull yourself
And say you can't"

Se levante e diga sim. Veja que você também pode ajudar a mudar as coisas. Ficar só sentado esperando não resolve nada. É preciso agir. É preciso arriscar.

"So come with me
And seize the day
Before we never be the same"

O que fizemos no passado ainda ecoa no presente. Pequenas ações que tivemos, somadas as interações aleatórias de eventos tiveram grandes consequências. Pra toda ação há uma reação. Por isso não desvalorize pequenos gestos, aceite-os e os retribua sempre que puder. Nunca sabemos o que nos espera pela frente, nem a dimensão que esse pequeno gesto vai tomar.
Afinal, nada muda de uma hora pra outra.
Tudo começa com o primeiro passo. Tudo começa com um pequeno gesto.
Atire uma pedrinha na água, não custa tentar. Veja as ondas crescendo. Saiba que você começou aquilo.
Às vezes, dar um exemplo vale mais do que apenas seguir um.

Trechos da música "Make a wave - Demi Lovato e Joe Jonas"

Mudanças

|
"As únicas pessoas que não conseguem mudar são as mais sábias e as mais estúpidas."
( Confúcio )

Bem, levando em consideração a frase acima, posso dizer que pouca parte da população não consegue mudar, pois não estamos rodeados de sábios nem de pessoas totalmente estúpidas. As pessoas mudam, isso é fato. Há quem diga que não, que as pessoas apenas melhoram ou pioram, mas a meu ver, melhorar ou piorar não deixa de ser uma mudança. Mudar faz parte, é necessário, mas basta saber o momento certo de mudar e o quão significativa deve ser essa mudança. Há mudanças que ocorrem sutilmente e nem nos damos conta e outras precisam ser feitas.

"Tudo muda quando você muda."
( Jim Rohn )

O ser humano é um ser mutável, vive em transformação, é um ser que muda tanto física quando psicologicamente. Porém algumas mudanças são difíceis de se fazer, principalmente quando você já está acostumado com algo. Mudanças assustam, confundem, mas ainda assim, trazem bons resultados.

Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças
(Charles Darwin)

Portanto ser conservador demais é o caminho errado, pois assim fica mais difícil de aceitar as mudanças. Na verdade, se aceitamos ou não, elas acontecem, de forma brusca ou sutil, rápida ou demorada, não importa... mudanças vêm e trazem consigo mais mudanças. O mundo está em constante transformação, por que devemos nos negar a ela?
Então mude quando achar necessário. Mude quando perceber que não dá mais pra continuar do mesmo jeito. Melhore em alguns aspectos. Piore em outros. Seja flexível. Mudanças trazem novidades e surpresas, quem se arrisca vê o que tem pela frente, quem apenas espera, vê a vida passar em câmera lenta diante dos olhos.
Arrisque-se. Sua mudança só depende de você!

Razão e Emoção

| quinta-feira, 25 de março de 2010
Por que sempre que nos fazemos perguntas que precisam de uma resposta certa, vem um lado nosso e diz uma coisa enquanto o outro discorda? Somos assim, temos esses dois lados que também podem ser chamados de "razão" e "emoção". E o pior de tudo, às vezes, discutir sozinho não leva a lugar algum e ao invés de resolver um problema, só traz mais. Qual lado seguir? Razão ou emoção? Há quem diga que é sempre melhor agir com o coração, mas será que levar em conta a razão de vez em quando não seria uma boa solução também? Esses conflitos internos são difíceis de solucionar e quando acontecem eles duram mais do que deveríam e mais do que gostaríamos.
Nem sempre temos as respostas certas. nem sempre entendemos o problema como um todo, mas os dois lados estão lá, discutindo, ponderando... um sempre tentanto levar vantagem sobre o outro. Um pensa mais no futuro e nas consequências, o outro já é mais impulsivo e vai levando a vida sem muitas preocupações. Um reflete bastante antes de agir, o outro se jogo de cara. Um sussurra bons conselhos, o outro destila táticas ardilosas. Mas um complementa o outro, nenhum pesa mais na balança. A soma dos dois lados, das duas opiniões podem dar um denominador comum que é o que procuramos.
Ouça com atenção sua mente e coração, avalie os dois pontos de vista e tente entrar em um consenso. Se errar, tente novamente, nem sempre acertamos de primeira e ninguém vive só de acertos. Se acertar é porque está no rumo certo, pelo menos já é um sinal que você está aprendendo a ouvir os dois lados, é um sinal que eles já não estão tão separados. A união faz a força, é o que dizem, então una seus "eus interiores", eles vão ajudar.

Humor

| quarta-feira, 24 de março de 2010
"O bom humor tem algo de generoso: dá mais do que recebe."
( Émile Henriot)

Nem sempre temos o mesmo todos os dias. Nem sempre temos que ter o mesmo, mas é sempre bom manter o BOM, do que estou falando? Do humor (pergunta idiota, levando em consideração o título do post e a frase acima). Mas deixemos isso de lado. É evidente, óbvio e certo de que uma pessoa de bom humor atrai as pessoas. O humor é como uma imã, que tem dois lados... o bom humor atrai, enquanto o mau humor repele. Não é fácil estar de bem com a vida todos os dias, especialmente naqueles em que a vida te dá uma baita rasteira, vamos relevar esses dias, mas no resto, pra que ficar mal-humorado?
Como ficar de bom humor sempre? Não existe regra pra isso, vou tentar algumas dicas:
1 - Acorde com um sorriso
2 - Ria da própria cara no espelho
3 - Não leve a vida tão a sério
4 - Ria das próprias piadas
5 - Ria sozinho
6 - Tente sempre ver o lado bom das coisas (por mais difícil que seja)
7 - Tenha pessoas bem-humoradas ao seu redor
8 - Ache graça dos próprios defeitos, só assim terá mais prazer em mudá-los
9 - Saia da rotina de vez em quando
10 - Invente seu próprio BOM humor!

São dicas aparentemente inúteis, mas que têm algum fundamento. Ninguém te deixa de bom humor, isso vem de dentro, você se faz assim.
Gosto daquela frase que diz: “As pessoas costumam dizer: Um dia, vamos olhar para isso tudo e rir. E eu digo: Por que esperar?"
Isso mesmo, por que esperar? Ria agora e ria depois também, por que não?
O bom humor cativa.
O bom humor é bom, por isso tem esse nome, por isso...
SORRIA. RIA. CONTAGIE. CATIVE. COMPARTILHE.

Estamos nesse mundo de passagem... eu quero passar esse tempo com alegria e você?

Encontrei

| segunda-feira, 22 de março de 2010
Interação

Acordei logo pela manhã com a luz do sol lutando para atravessar as venezianas. Olhei ao redor e vi as formas escuras e conhecidas dos objetos do meu quarto. Esfreguei os olhos para pôr tudo em foco e notei que ali do lado da cama havia um embrulho. Era uma caixa grande. Um presente? me perguntei. Achei aquela situação um tanto estranha, mas minha curiosidade falou mais alto e quando me vi, já estava rasgando o embrulho vermelho. A caixa não era pesada. Terminei de tirar todo o papel rasgado e abri a caixa, mas ainda não havia luz o suficiente para ver o que tinha lá dentro. Me debrucei na janela e a abri rapidamente, quando voltei minha atenção para a caixa aberta na minha frente, nem acreditei no que eu havia encontrado.

O que eu encontrei? Bom, vou guardar isso pra mim, por enquanto.
O que você encontrou?

Mais um texto sem sentido, para interagir com o pessoal. Diga aí...

O que tinha dentro da sua caixa?

Perfect place vs. Reality

|
"Imagine a place you can always escape to
An island off the coast of nowhere
A new destination of your own creation

Just waiting till you choose to go there"

Well, if there is a place like that, it is in our minds. The place where we can lock up ourselves and run away from reality, because reality sometimes it's hard and confusing. Having a place of our own it's good.

"This is a place where your mind can escape
All the problems today and go far, far away

This is a time with no history
Welcome to mystery"


A place where there's no problem? That's definitely not a real place, neither a place inside our minds, because in there we can't steal away from our problems, they are everywhere in there.

"Imagine a city where everything's pretty
And you sir, you rule the kingdom
You call the shots you can do what you want to

Oh just imagine the freedom"

Rule things? Hum, very tempting, but we barely can rule our own lives, we're always looking for help. Rule a place would bring twice as much problem, which we wouldn't be able to deal with.

"Imagine a room where the flowers they bloom
Through the cracks in the floor and the ceiling

Just you and the missus and roses and kisses
My, what a wonderful feeling"

Now I can say for sure where this place is: in our dreams. Inside of our minds, but in the unconscious. We can reach this place, but we can't live there forever.
Although reality is hard, it is where we belong.

"Welcome to mystery"

Real world is a mystery.

Passages from "Welcome To Mystery - Plain White T's"

Incertezas

|
Péssimos são aqueles dias em que acordamos nos sentindo estranhos, com um aperto no peito, uma mágoa, uma coisa estranha e sem nome. Sem definição. São dias que nos sentimos mal sem nem saber o porquê e quanto mais procuramos encontrar um motivo, mais difícil essa tarefa se torna. São esses os dias da incerteza, aqueles dias parados e monótonos que só queremos ficar sós ou em silêncio porque aquele bater sufocado do coração tenta, mas não consegue dizer o que sente. Essas incertezas são sempre certas por não serem decifráveis, incertezas estúpidas que vêm depois de dias bons e felizes, incertezas que ferem sem machucar, que marcam sem tocar e que deixam vestígios de sua passagem sorrateira. A incerteza é realmente uma coisa chata e densa, ela vem tão de mansinho que nem notamos, mas quando percebemos já estamos fazendo aquelas perguntas que não sabemos as respostas. A gente busca descobrir o que está havendo, porque está acontecendo, mas quanto mais buscamos mais nos perdemos nas ondas das incertezas.
A incerteza é uma confusão momentânea, é uma insegurança passageira e é uma certeza de que ela veio por algum motivo. Motivo esse que demora a ficar claro aos nossos olhos, um motivo que queremos descobrir desesperadamente, mas que só nos causa frustração por nos fazer esperar.
Incertezas são coisas certas na vida. Elas vêm e vão, como visitas, umas só dão uma passada rápida, outras permanecem por um período e algumas acham que devem ficar pra sempre, mas no fim, elas se vão.
Se uma incerteza me trouxe até aqui, outra me leva a outro lugar.
Uma incerteza me fez enxergar com mais clareza, me fez ter certeza das minhas ações e me transformou. Tenho que saber lidar com aquelas do momento e estar preparado para aqueles que virão.
Se tenho incertezas é porque ainda penso... se penso é porque sou certo, de uma forma ou de outra.

Momentos congelados

| domingo, 21 de março de 2010
Há momentos que somente os olhos captam. Aqueles momentos que temos a certeza que ficarão guardados na memória e/ou, à vezes, congelados em imagens no papel. Imagens no papel podem se perder, se rasgar, se desgastar... mas o que fica na mente não corre o risco de sofrer danos, não se for real, verdadeiro e marcante.
Momentos congelados que por muito tempo podem ficar esquecidos, mas que um simples gesto, palavra ou som, traz à tona outra vez. Revivemos o momento e a sensação, mas o momento já passou. Nossa vida é feita de momentos, sejam eles bons ou ruins, momentos insignificantes ou que ficam pra sempre, momentos que acabam e momentos que por um fração de tempo pensamos que nunca vão terminar, mas terminam. O que ficam são as lembranças, as sutis imagens mentais daquilo que aconteceu, a nostalgia.
Esteja você vivendo o momento que for, aproveite se for bom... aguente, se for ruim, pois com o tempo passa. Por isso são chamados de "momentos" e não de "eternidade."

Lados da mesma pessoa

| sexta-feira, 19 de março de 2010
Com todo perdão da palavra, eu sou um mistério para mim.
(Clarice Lispector)

Não sou imune a dores, a tristezas nem ao desespero;
não sou imune a ofensas, a mentiras nem a mágoas;
Sou eu, assim do meu jeito,
me preocupando e cuidado à minha maneira peculiar de ser.
Não sou um ser incapaz de ter emoções,
posso ser um ser que, às vezes, é incapaz de demonstrá-las.
Não sou aliado de falsos sorrisos nem de condutas erradas,
não sou um opinador da vida alheia,
não me meto em problemas que não pertencem a mim.
Não sou decifrável nem previsível.
Não sou aquilo que pensam de mim.
Não sou alguém além de um simples ser humano,
cheio de problemas e confusões como todos os outros.
Não sou um santo, tenho os meus pecados.
Não sou quem não quero ser, nem sou aquilo que querem fazer de mim.
Não sigo padrões nem me encaixo em perfis pré-definidos.

SOU aquele que prefere a solidão à más companhias,
SOU aquele que fala quando alguém quer ouvir,
que ouve quando alguém quer falar,
que fica em silêncio quando for necessário.

Não sou perfeito, e longe de mim querer ser.

Eu sou eu. Não preciso de rótulos.
Se sou especial não cabe a mim julgar.

Sou criança, sou adulto...
Tenho a maturidade pra saber que nessa vida se for pra viver à sério demais não se vive.

Sou amigo, sou conselheiro...
Posso ter alguém a meu lado que me faz falta quando sai e se eu também fizer falta é porque fui importante na medida certa.

Sou aluno, sou professor...
Consigo aprender as pequenas lições que as pequenas coisas ensinam. E se puder passar um pouco do pouco que sei, isso me engrandece.

Sou de fases, tenho lados.
Um pessoa é como uma moeda, pra conhecê-la totalmente, você tem que conhecer todos os lados dela.

Sou igual por ser diferente.
Sou grande por ser pequeno.

Sei que sou muitas coisas e sei que não sou muitas outras mais.
Só sei que nem eu mesmo sei quem eu sou por completo.
Sou um reflexo no espelho, que só mostra aquilo que se vê,
o que tem por dentro é um mistério.

O que tem por dentro? Um dia eu ainda descubro...
 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso