Keblinger

Keblinger

Tempo

| sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010
Por que tem dias em que a gente tá confuso? Mas é uma confusão que dura, que não termina quando o dia passa e a noite vem, que não termina quando a noite vai e o outro dia começa. Confusões geralmente são uma desordem em nossa mente, uma explosão de pensamentos aleatórios e sem sentido, uma montanha russa de sentimentos que ora estão claros e ora totalmente imperceptíveis. Se houvesse uma cura pra isso, garanto que muita gente ia querer (me incluo nesse "muita gente"), mas não há. O que fazer então? Se eu pergunto é porque não tenho respostas, tenho teorias, e mesmo que tivesse uma resposta, eu não a adotaria, porque o bicho estranho que é o ser humano nunca ouve os próprios conselhos, sempre precisa que alguém diga o que fazer, como fazer e quando fazer, mas, voltemos ao foco principal... O que fazer quando nossa cabeça está a mil e já nem sabemos mais o que estamos fazendo da vida? Nada. A espera é sempre uma boa solução, o tempo é dono da cura, o tempo é a solução do problema e com o tempo as coisas se ajeitam e voltam pro lugar. O tempo, bem... o tempo é uma definição vaga, pois o tempo é indefinido. O tempo. Que tempo? Eu não sei. Uma coisa que costumo dizer é: "O tempo tem seu próprio tempo!" Não adianta querer apressar as coisas, querer prolongar os prazos e adiar as responsabilidades, chega uma hora que tudo isso aparece, chega uma hora que a gente tem que entender que o "tempo" é agora. As confusões que mexem com nossa cabeça normalmente tem a ver com decisões. Tomar decisões é realmente algo sério, chato e necessário (o pior de tudo)... tomar decisões traz consequências, que trazem responsabilidades, que trazem mais decisões... a vida da gente é feita de escolhas, não tem como fugir disso, então só digo que quando estiver com a cabeça tumultuada, apenas espere. O tempo vai te mostrar o que fazer, ele vai te ajudar a dar um jeito em tudo. E como diz aquele provérbio: "O tempo é o senhor da razão!" E num é que é mesmo?!

1 sorrisos compartilhados:

{ Joyce Silva } at: 30 de junho de 2017 17:07 disse...

Afinal, o que move o mundo senão as perguntas e as decisões que são tomadas? Quanto esperar, well, você me conhece bem, ou como diriam em Grey's "“você é a minha pessoa […] Porque você é a única que me conhece. Escuramente, me conhece de verdade…" e eu sou meio apressadinha - exceto para andar na rua, U know, acho que tudo tem seu tempo, mas esperar não é algo muito fácil para mim.

Mas, procrastinador como você é, i know, i love u, rsrsrs <3

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso