Keblinger

Keblinger

Há dias

| sexta-feira, 13 de novembro de 2009
Há dias em que acordamos questionando a vida, o sentido de nossa existência e que papel temos nesse mundo. Há dias que não conseguimos obter nenhuma resposta. Há dias que achamos tê-las encontrado. E há dias em que elas realmente aparecem.
Há dias que nos sentimos sozinhos mesmo com um monte de gente ao redor. Há dias que queremos ficar sós e tentar compreender o que são todos aqueles sentimentos que duelam em nosso peito, procurando por uma maneira de sair. Há dias que nos sentimos sem amigos. Há dias que o simples fato de existirmos significa muito para outra pessoa, pois apesar de muitas vezes nos enxergarmos como alguém insignificante, há pessoas que nos vêem como alguém especial. Há pessoas que só desejam nosso bem e felicidade. E essas pessoas são raras.
Há dias que queremos mudar o rumo de nossa vida. Há dias que desejamos realizar todas aquelas coisas que sempre tivemos vontade de fazer. Há dias que tentamos e fracassamos. Há dias que nos frustramos. E há dias em que conseguimos.
Há dias em que temos vontade de desaparecer sem deixar vestígios. Há dias que queremos ser notados e não somos. Há dias que tentamos esconder o que sentimos e há dias que queremos saber demonstrar esses sentimentos ambíguos. Há dias que queremos ser mais transparentes.
Há dias em que nos revoltamos. Há dias em que nada é capaz de nos tirar do sério. Há dias que não queremos sair da cama. E há dias que desejamos que não termine.
Há dias em que as horas se arrastam relutantes em seguir em frente. Há dias em que as mesmas horas passam sem ser percebidas. Há dias que cada minuto é uma angústia. Há dias que cada segundo é um deleite.
Há dias em que tentamos fugir das responsabilidades. Há dias em que a verdade nos persegue e se revela. Há dias que tudo parece uma ilusão.
Há dias bons e ruins, dias alegres e tristes, dias terríveis e dias inesquecíveis. Há momentos que passam e se perdem no tempo. Há momentos que ficam pra sempre. Há pessoas que passam e ficam pra trás. Há pessoas que nos acompanham até o final. Há sonhos que morrem. Sonhos que mudam. E há sonhos que se realizam. Há tristezas imensas e alegrias ainda maiores. Há desencontros e perdas, mas há o amanhã. Há incertezas e arrependimentos e ainda assim, há o amanhã, o dia em que podemos encontrar as respostas que achamos que não existem, o dia que teremos nosso valor reconhecido, o dia que teremos a coragem de dizer tudo aquilo que mantemos em segredo, o dia que reconheceremos quem são as pessoas que vale a pena chamar de amigo, o dia que mudamos a forma de viver, o dia que teremos que encarar a realidade. O amanhã é apenas o presente que ainda não chegou. Um futuro que vai passar. Uma surpresa. Um sonho. Uma conquista ainda não alcançada. Mais um dia pra viver. O amanhã é um novo começo. (Rodolpho Padovani)

Texto de minha autoria!

1 sorrisos compartilhados:

{ jackandradeh } at: 8 de junho de 2010 22:28 disse...

há o amanhã, para nos permitimos um novo começo...uma nova historia...paraabens amei o texto..

 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso