Keblinger

Keblinger

Quero...

| sexta-feira, 13 de novembro de 2009
Quero viver a vida que tenho vontade...
Quero ser feliz da minha maneira...
Quero errar para me arrepender...
Quero sonhar...
Quero sorrir, cantar, dançar...
Quero realizar meus objetivos...
Quero chorar de felicidade...
Quero amar...
Quero rir das lembranças...
Quero ter histórias pra contar e recordar...
Quero sentir a nostalgia ao olhar para velhas fotografias...
Quero ouvir canções que me lembram de pessoas especiais...
Quero fazer feliz as pessoas ao meu redor...
Quero ajudar quem necessita...
Quero ouvir quem quer falar...
Quero confortar quem precisar...
Quero as coisas simples da vida que o dinheiro não compra...
Quero mudanças...
Quero saudades e reencontros...
Quero amigos incríveis...
Quero finais inesqueciveis...
Quero abraçar meu destino, seja ele qual for...
Quero o desconhecido, quero surpresas...
Quero olhar para trás e dizer que tudo valeu a pena...
Quero chegar ao final sabendo que vivi por completo...
Quero viver a vida que tenho vontade!
(Rodolpho Padovani)

Há dias

|
Há dias em que acordamos questionando a vida, o sentido de nossa existência e que papel temos nesse mundo. Há dias que não conseguimos obter nenhuma resposta. Há dias que achamos tê-las encontrado. E há dias em que elas realmente aparecem.
Há dias que nos sentimos sozinhos mesmo com um monte de gente ao redor. Há dias que queremos ficar sós e tentar compreender o que são todos aqueles sentimentos que duelam em nosso peito, procurando por uma maneira de sair. Há dias que nos sentimos sem amigos. Há dias que o simples fato de existirmos significa muito para outra pessoa, pois apesar de muitas vezes nos enxergarmos como alguém insignificante, há pessoas que nos vêem como alguém especial. Há pessoas que só desejam nosso bem e felicidade. E essas pessoas são raras.
Há dias que queremos mudar o rumo de nossa vida. Há dias que desejamos realizar todas aquelas coisas que sempre tivemos vontade de fazer. Há dias que tentamos e fracassamos. Há dias que nos frustramos. E há dias em que conseguimos.
Há dias em que temos vontade de desaparecer sem deixar vestígios. Há dias que queremos ser notados e não somos. Há dias que tentamos esconder o que sentimos e há dias que queremos saber demonstrar esses sentimentos ambíguos. Há dias que queremos ser mais transparentes.
Há dias em que nos revoltamos. Há dias em que nada é capaz de nos tirar do sério. Há dias que não queremos sair da cama. E há dias que desejamos que não termine.
Há dias em que as horas se arrastam relutantes em seguir em frente. Há dias em que as mesmas horas passam sem ser percebidas. Há dias que cada minuto é uma angústia. Há dias que cada segundo é um deleite.
Há dias em que tentamos fugir das responsabilidades. Há dias em que a verdade nos persegue e se revela. Há dias que tudo parece uma ilusão.
Há dias bons e ruins, dias alegres e tristes, dias terríveis e dias inesquecíveis. Há momentos que passam e se perdem no tempo. Há momentos que ficam pra sempre. Há pessoas que passam e ficam pra trás. Há pessoas que nos acompanham até o final. Há sonhos que morrem. Sonhos que mudam. E há sonhos que se realizam. Há tristezas imensas e alegrias ainda maiores. Há desencontros e perdas, mas há o amanhã. Há incertezas e arrependimentos e ainda assim, há o amanhã, o dia em que podemos encontrar as respostas que achamos que não existem, o dia que teremos nosso valor reconhecido, o dia que teremos a coragem de dizer tudo aquilo que mantemos em segredo, o dia que reconheceremos quem são as pessoas que vale a pena chamar de amigo, o dia que mudamos a forma de viver, o dia que teremos que encarar a realidade. O amanhã é apenas o presente que ainda não chegou. Um futuro que vai passar. Uma surpresa. Um sonho. Uma conquista ainda não alcançada. Mais um dia pra viver. O amanhã é um novo começo. (Rodolpho Padovani)

Texto de minha autoria!

Felicidade

| sexta-feira, 6 de novembro de 2009

"A felicidade visita-nos discretamente todos os dias sem fazer alarde, nossos olhos nunca a percebem e equivocadamente perdemos nosso tempo procurando onde ela nunca estará." (Diogo Lopes)


O que é a felicidade afinal? Na minha opinião digo que é aquilo que todo mundo procura, talvez mais ainda do que o amor e a paz, todos querem ser feliz... ser feliz no amor, ser feliz na vida profissional, ser feliz na vida em geral. Mas ainda não respondi a pergunta... bom, a felicidade para mim se resume nas pequenas coisas da vida, naquelas coisas mais trivias e que muitos julgam ser insignificantes, como um sorriso sincero, um abraço na hora certa, um ombro amigo. A felicidade não é constituída de quantidade e sim de qualidade. Ser feliz é ter pelo menos um amigo com quem contar; é saber apreciar o valor das coisas simples; é enxergar a beleza da natureza; é aproveitar cada momento bom da vida. A frase que coloquei logo acima resume tudo isso, que a felicidade está sempre por perto, sempre ao nosso lado e sempre estamos ou ocupados ou distraídos demais pra perceber e sempre insistimos em procurá-la onde ela não está, sempre a colocamos num ponto distante do horizonte em que a medida que se caminha ela se distancia mais e mais, mas na verdade, ela sempre esteve ali pertinho, pedindo uma chance de ser notada... por isso não busque coisas fora de alcance, vá agregando tudo aquilo que está por perto e quando você perceber já terá tudo o que precisa e não aquilo que pensava que devia ter. E quando resolver olhar para aquele canto escondido, talvez você encontre a verdadeira felicidade, que, no final das contas, sempre esteve dentro de você!

Indiferença

| quinta-feira, 5 de novembro de 2009

"A indiferença é a maneira mais polida de desprezar alguém." (Mário Quintana)

Já ouvi dizer que tudo o que desperta sentimentos em nós, tem algum valor, mesmo que sejam sentimentos de repulsa. Mas se algo ou algúem é indiferente pra você isso significa que não possui valor algum. A indiferença é a pior forma de castigar alguém, há quem diga que o oposto do amor não é o ódio e sim a indiferença, que convenhamos, machuca muito mais. Se sentir indiferente nos reduz a menos que nada, saber que nossa ausência não é sentida, que nossa presença não é notada, isso é realmente frustrante. Hoje em dia devemos saber dosar tudo aquilo que sentimos, para não sofrer demais, para não se doar além do permitido, para não nos colocarmos em segundo plano. Há pessoas que merecem a indiferença e merecem porque fizeram por merecer... Se nós pobres mortais temos um poder extraordinário capaz de ferir alguém e abalar as estruturas, esse poder é a indiferença. Mas como já disse, temos que saber dosar nossos sentimentos, não importa quais sejam eles, afinal sempre tem aquele ditado: "Você colhe o que planta!"

Egoísmo

| quarta-feira, 4 de novembro de 2009

"Egoísmo não é viver à nossa maneira, mas desejar que os outros vivam como nós queremos." (Oscar Wilde)

Ninguém gosta de se considerar egoista, mas no fundo todo mundo é um pouco. Sempre tem aquele momento em que desejamos que as coisas sejam feitas à nossa maneira, ou queremos ter alguém só pra nós, ou até mesmo colocamos mais importância em nossos problemas e esquecemos por completo que os outros também têm problemas, às vezes piores do que os nossos. Não digo que ser egoista de vez em quando seja algo ruim, realmente tem certas ocasiões que temos que nos colocar em primeiro lugar ao invés de sempre nos preocuparmos com o que os outros vão pensar ou falar. Mas sempre devemos evitar o excesso, afinal, tudo em excesso faz mal. Por isso, seja sempre um pouco de tudo, sempre na medida certa, sempre no momento certo...


"O valor das coisas...

| terça-feira, 3 de novembro de 2009

... não está no tempo que elas duram, mas na intensidade que acontecem . Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis"

(Fernando Pessoa)

Descarregador de pensamentos...

|
Por que criei esse blog? Porque eu sempre quis ter um blog, mesmo quando eu nem sabia o que era um blog e para que servia. Na verdade eu criei sem motivo, e nem sabia para que eu o usaria, decidi tempos depois que será para poder "descarregar meus pensamentos", esvaziar a cuca e compartilhar o que penso e o que sinto... não sei se alguém vai perder tempo de ler tudo isso, mas vou escrevendo, pra mim, pra alguém que curtir... à toa. E por que "A arte de um sorriso"? Confesso que fiquei um bom tempo pensando em um nome para o blog... e não achei nenhum melhor do que esse. A arte de um sorriso porque eu gosto de sorrir, gosto de fazer os outros sorrirem e quero que se alguém ler algo aqui, posso sorrir, sacudir a cabeça e dizer: "Concordo" ou simplesmente sorrir e dizer "Que sem noção, da onde ele tirou isso?" Gostando ou não, elogiando ou criticando, o que importa é sorrir. Sorrir é uma arte, por isso "a arte de um sorriso."
 

Copyright © 2010 A arte de um sorriso